jump to navigation

“Aceite-me” – autor desconhecido 30/03/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012.
Tags:
add a comment
Aceite-me como eu sou,
porque não tenho garantias e
nem tenho a pretensão de ser alguém perfeito.
Toda a perfeição não posso ter.
Eu sou como você.
Sou da espécie humana.
Sou capaz de errar.
O erro, não é falha de caráter 
e errar faz parte da Natureza Humana.
Eu vivo, Eu sorrio e Eu também aprendo .
Meu conhecimento é incompleto .
Estou na busca o tempo todo, 
nas horas acordadas e nas e nas horas de sono.
Eu tenho um longo caminho a ser percorrido,
assim como você também tem . 
Aprendemos nossas lições pelo caminho .
Atingiremos a Sabedoria .
Assim, por favor, aceite-me como sou !
Porque eu sou só eu.
Apenas eu.
Não há ninguém igualzinho a mim no mundo .
Esta é a única garantia que dou .
É assim que eu me sinto .
Eu tenho um coração .
Abra-me e veja-o !
Por 
 Por favor , cuide bem dele .
Ele é tudo que eu sou .
Apenas eu.
Poema escolhido pela Inês Costa, 8.ºC

” As sem razões do amor” – Carlos Drummond de Andrade 29/03/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012.
Tags:
add a comment
Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e  nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.
 
Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.
 
Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem  se ama.
Porque amor é amor a nada,
Carlos Drummond de Andrade

Poema escolhido pela Inês Costa, 8.ºC

“Amor é fogo que arde sem se ver” – de Luís de Camões 28/03/2012

Posted by prof_helena in 8ºD, Ano Letivo 2011/2012.
Tags:
add a comment

Amor é fogo que arde sem se ver;

É ferida que dói e não se sente;

É um contentamento descontente;

É dor que desatina sem doer;

 

É um não querer mais que bem querer;

É solitário andar por entre a gente;

É nunca contentar-se de contente;

É cuidar que se ganha em se perder;

 

É querer estar preso por vontade;

É servir a quem vence, o vencedor;

É ter com quem nos mata lealdade.

 

Mas como causar pode seu favor

Nos corações humanos amizade,

Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

                            Luís de Camões


O poema mais lindo do Mundo, escolhido pela Ana Beatriz Soares Carvalheira, 8ºD.

Mais poemas deste autor AQUI.

“O amor, quando se revela” – Fernando Pessoa 28/03/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012.
add a comment

O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p’ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há-de dizer.
Fala: parece que mente…
Cala: parece esquecer…

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar…

FERNANDO PESSOA

Escolha de Tânia Rodrigues, 8.ºC

“Autopsicografia” – Fernando Pessoa 27/03/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012.
Tags:
add a comment
O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
 
E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.
 
E assim nas calhas da roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração.
Fernando Pessoa

Escolha de Inês Costa, 8.ºC

“Querer” – Pablo Neruda 26/03/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012.
Tags:
add a comment

Não te quero senão porque te quero,
e de querer-te a não te querer chego,
e de esperar-te quando não te espero,
passa o meu coração do frio ao fogo.
Quero-te só porque a ti te quero,
Odeio-te sem fim e odiando te rogo,
e a medida do meu amor viajante,
é não te ver e amar-te,
como um cego.

Tal vez consumirá a luz de Janeiro,
seu raio cruel meu coração inteiro,
roubando-me a chave do sossego,
nesta história só eu me morro,
e morrerei de amor porque te quero,
porque te quero amor,
a sangue e fogo.

Pablo Neruda

Poema escolhido pela Quélia Ribeiro, 8.ºC

“Saudade é solidão acompanhada” – Pablo Neruda 25/03/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012.
Tags:
add a comment

Saudade é solidão acompanhada,

é quando o amor ainda não foi embora,

mas o amado já…

 

Saudade é amar um passado que ainda não passou,

é recusar um presente que nos machuca,

é não ver o futuro que nos convida…

 

Saudade é sentir que existe o que não existe mais…

 

Saudade é o inferno dos que perderam,

é a dor dos que ficaram para trás,

é o gosto de morte na boca dos que continuam…

 

Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:

aquela que nunca amou.

 

E esse é o maior dos sofrimentos:

não ter por quem sentir saudades,

passar pela vida e não viver.

 

O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.

Pablo Neruda

(Podes ler mais poemas deste autor AQUI.)

 

 Escolha de Inês Costa, 8.ºC

“Versos Versos! Versos! Sei lá o que são versos…” – Florbela Espanca 24/03/2012

Posted by prof_helena in 8ºD, Ano Letivo 2011/2012.
Tags:
add a comment

Versos Versos! Versos! Sei lá o que são versos…
Pedaços de sorriso, branca espuma,
Gargalhadas de luz, cantos dispersos,
Ou pétalas que caem uma a uma…

Versos!… Sei lá! Um verso é o teu olhar,
Um verso é o teu sorriso e os de Dante
Eram o teu amor a soluçar
Aos pés da sua estremecida amante!

Meus versos!… Sei eu lá também que são…
Sei lá! Sei lá!… Meu pobre coração
Partido em mil pedaços são talvez…

Versos! Versos! Sei lá o que são versos…
Meus soluços de dor que andam dispersos
Por este grande amor em que não crês…

Florbela Espanca, in “A Mensageira das Violetas”

ALGUNS DADOS BIOGRÁFICOS:

           Florbela Espanca nasceu em Vila Viçosa, a 8 de Dezembro de 1894,e faleceu em  Matosinhos, a 8 de Dezembro de 1930, no seu trigésimo sexto aniversário. Foi batizada como Flor Bela de Alma da Conceição Espanca, e foi uma poetisa portuguesa. Era filha de Antónia da Conceição Lobo e do republicano João Maria Espanca.

             Florbela tentou suicidar-se por três vezes. Não resistiu à terceira tentativa do suicídio. Faleceu em Matosinhos, no dia do seu 36º aniversário, a 8 de Dezembro de 1930. A causa da morte foi a sobredose de barbitúricos.

Escolha de Bruna Pereira, 8.ºD

“Futebol” – Carlos Drummond de Andrade 24/03/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012, palavrasdesever.
Tags:
add a comment

Futebol se joga no estádio?

Futebol se joga na praia,

futebol se joga na rua,

futebol se joga na alma.

 

A bola é a mesma: forma sacra

para craques e pernas-de-pau.

Mesma a volúpia de chutar

na delirante copa-mundo

ou no árido espaço do morro.

 

São voos de estátuas súbitas,

desenhos feéricos, bailados

de pés e troncos entrançados.

 

Instantes lúdicos: flutua

o jogador, gravado no ar

- afinal, o corpo triunfante

da triste lei da gravidade.

 

in Poesia Errante

(Podes ler mais poemas deste Grande poeta aqui.)


Poema escolhido pelo Marcelo Dias, do 8.ºC.

Conto de Fadas de Pernas para o Ar 14/03/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

Era uma vez uma rapariga chamada Cinderela que vivia com a madrasta e com as suas duas meias-irmãs. À primeira vista ela parecia muito meiga, humilde e amável, mas não, era ela era uma espécie de bruxa má que obrigava a madrasta a limpar e a arrumar a casa mais que uma vez por dia e as meias-irmãs a costurarem-lhe vestidos iguais aos que via nas montras das lojas, mas que não tinha dinheiro para comprar.

Certo dia, bateu à porta da mansão Teles de Brito um mensageiro que fez um comunicado que deixou toda a casa em alvoroço: era um convite para um baile na herdade das maçãs. Cinderela ficou logo entusiasmadíssima e ordenou às suas meias-irmãs que lhe fizessem um vestido magnífico e deslumbrante. As irmãs obedeceram-lhe e foram para o quarto, mas não foram fazer o vestido, foram combinar um plano para elas irem ao baile e impedirem Cinderela de ir e de se insinuar para Miguel, o futuro herdeiro da herdade das Maçãs que era o homem dos sonhos delas. As irmãs fizeram o vestido da Cinderela e os delas e quando, finalmente, chegou o dia do baile as irmãs puseram o plano em prática e trancaram Cinderela no seu próprio quarto.

Já no baile, Sara e Letícia (as duas meias-irmãs de Cinderela) divertiam-se a falar com os convidados, até que Miguel interrompeu a conversa e convidou Letícia para dançar. Esta receou aceitar porque não queria estragar a sua amizade com a irmã, mas Sara disse-lhe que não se preocupasse que ela também já tinha pretendente.

E assim foi: quando o baile terminou as duas irmãs não podiam estar mais felizes, pois aquela noite foi o passaporte delas para fora da mansão Teles de Brito. Letícia ficou noiva de Miguel, acabando por casar com ele pouco tempo depois do baile, vivendo assim feliz para sempre. Sara não se casou com o tal pretendente, mas estava feliz na mesma, porque apesar de não estar casada com ele, eles namoravam e estavam mais felizes do que nunca.

Vocês devem-se estar a perguntar o que aconteceu a Cinderela, mas essa só teve o que mereceu, ficou a trabalhar como costureira e empregada de limpeza particular da sua madrasta.

 

Diana Pimenta Nº13 8ºB

A minha avozinha Maria 05/03/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012, palavrasdesever.
add a comment

Ela é bela e soberana, tem 52 anos mas não parece, vive em Pessegueiro do Vouga e é a minha Avó Maria.

Sua pele é suave e macia, tem olhos verdes como a relva no Inverno, boca carnuda e nariz rechonchudo. Cabelos brancos como a neve, lisos como a água a cair de um pequeno riacho, roupa com muita vida, igual à de uma criança à procura do seu primeiro amor.

A minha avó é assim, sempre feliz com a vida, ela própria diz que ser infeliz é muito fácil, portanto gosta de ser lutadora e alcançar os seus objetivos. É teimosa, quando mete algo na cabeça, nada nem ninguém a consegue a impedir de obter o que quer. É muito solidária com os outros, estende a mão a todos, posso dizer que a minha avó é amiga e boa conselheira.

Gosta de brincar com os netos, pois ela própria afirma que vive somente para os seus netos, filhos, marido e para a sua mãe!

Adoro a minha avó!!!

Quélia Ribeiro, 8ºC,Nº24

O Retrato do Rapaz (música Baile da Paróquia de Rui Veloso) 05/03/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
2 comments

O Miguel tem vinte e cinco anos e mora no Porto.

É um rapaz alto, moreno com um rosto oval e sempre corado. O seu cabelo é loiro e liso e os seus olhos castanhos vivos. Os seus lábios são finos, os dentes brancos e a boca sempre risonha. Tem uma maneira de se vestir um pouco antiquada para a sua idade, calças americanas, botas alentejanas e ainda um blusão negro e velho.

Normalmente, é um rapaz alegre e descontraído, pois sempre que vai a uma festa quer dançar; por vezes simpático e brincalhão. Por outro lado, é um pouco agressivo, devido ao facto de querer muito dançar e, sendo assim, toma atitudes agressivas tal como puxar o braço ao seu par; é também um pouco convencido. O Miguel gosta de festas e também de dançar.

Na minha opinião, é um rapaz que devia mudar algumas das suas atitudes, para se tornar uma pessoa melhor.

 

Beatriz Fernandes, Nº5, 8ºB

Autobiografia do futuro – O meu percurso de vida 05/03/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

 

Chamo-me Beatriz Pereira Bastos, tenho 30 anos e sou faladora, bem disposta e compreensiva.

Nasci no dia 06 de Outubro de 1998 e baptizei-me no dia 08 de Maio de 1999.Em 2003 entrei para a escola primária, em 2007 fiz a minha primeira comunhão. 2014 foi uma ano que nunca esquecerei porque nas férias de verão fui dar a volta à Europa, conheci novos países, novas culturas e também novas pessoas.

Passados três anos, entrei para a universidade de Coimbra onde tirei o curso de Medicina Dentária. Passado um ano nasceu o meu irmão Duarte, o que me deixou muito feliz. Em 2020 tirei o mestrado e passados três anos comecei a exercer a profissão de dentista, o que faço até hoje.

No ano de 2024 casei-me com um colega de profissão e em conjunto abrimos uma clínica de medicina dentária. Um ano mais tarde fui mãe de gémeos a quem dei o nome de Salvador e Martim.

Tenho uma vida estável, uma família unida e uma profissão de que gosto muito.

(texto de ficção)

Beatriz Bastos, nº6, 8ºB 

Retrato do Horácio (música do Baile da Paróquia de Rui Veloso) 05/03/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºA.
2 comments

O Horácio é um jovem já adulto que vive em Casais da Arrifana e tem 33 anos.

Fisicamente é um homem baixo, barrigudo e gordo. Tem um rosto avermelhado devido ao vinho tinto e usa os cabelos ruivos, baços e curtos. Tem os olhos pretos e pestanudos e o nariz torto e achatado, com uma boca sensual e os dentes amarelos. Veste –se com calças americanas coçadas e justas, botas alentejanas e um dragão nas costas.

É um jovem humilde e educado, brincalhão e descontraído. Mas também é tímido e um pouco indefeso.

O Horácio é um rapaz não muito bonito e está fora de moda porque se veste à anos 80. Contudo é um rapaz alegre e desenrascado, porque desde os 17 anos que vive sozinho, porque seus pais faleceram cedo e ficou a tomar conta da casa da quinta e dos animais.

 

Gustavo Sá, nº13, 8ºA

CARNAVAL 05/03/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºA.
add a comment

Caretas e folia

Alegria todo o dia

Rico em diversão

Natural e espontâneo

A dança de eleição é o samba

Vive-se a extravagância e

A euforia ao

Limite

 

Francisco Guerra, nº11, 8ºA

 

 

CARNAVAL 05/03/2012

Posted by prof_mjoao in palavrasdesever.
add a comment

Caretas e folia

            Alegria todo o dia

            Rico em diversão

            Natural e espontâneo

            A dança de eleição é o samba

            Vive-se a extravagância e

            A euforia ao

            Limite

“Às vezes sinto-me estranhamente sozinha” 04/03/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012, palavrasdesever.
add a comment

Às vezes sinto-me estranhamente sozinha

abro a janela, olho para o céu
e observo a lua…
Penso na noite…
Penso no dia…
Penso na falta que tu me fazes, na importância da tua companhia…
Porém, ao observar a lua,
Sinto-me acompanhada
De uma amiga fiel e calada,
A ouvir as minhas mágoas e angústias…
Uma amiga de só nos os dois.
E DEPOIS?!??!?!?
Depois temos algo em comum!
A lua…
Vemos a mesma lua,
Admiramos as mesmas estrelas!
É bom ser amado e sentir-se amado!
Amar não é saber,
Amar não é chorar,
Amar não é revoltar,
Amar, sim, é saber vencer
e não ter nada a temer…
É lutar e enfrentar
A solidão que paira no ar!
É dizer o que nos vai na alma
e com calma anunciar:
”Rapaz como tu nunca hei-de conhecer
e muito menos encontrar!!!”
Quélia Ribeiro, 8.ºC, n.º24

Poema de amor 03/03/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012, palavrasdesever.
add a comment
Estávamos só nós os dois
Naquela praia deserta
Eu só te via a ti…
…Tu só me vias a mim…
Só se ouviam as ondas do mar
e as nossas poucas palavras!
Os beijos trocaram-se…
As caricias faziam-se…
Os abraços surgiam…
Horas e horas se passaram
naquela areia macia!
O mundo era somente nosso,
não existia mais ninguém
a não ser..
…TU, EU, e o NOSSO ETERNO AMOR!

Quélia Ribeiro
8ºC
nº24

Retrato do avô da Margarida Marques 27/02/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012, palavrasdesever.
add a comment

            O avô é um homem de respeito, não só pela sua avançada idade, mas também pela consideração que tem pelos outros. Vive numa aldeia, isolado do resto do mundo.

            O que sobressai quando olhamos para ele são os seus olhos. Olhos de um azul triste, perdido mas sonhador. As suas roupas já estão velhas e desbotadas e, por muito que a mulher insista, o avô não as larga. É a teimosia! O avô é alto e musculado, devido à sua vida repleta de trabalho árduo e pesado.

            O avô não fala. Não é mudo, nem surdo, mas não gosta de falar. Mas, quando fala, é muito querido. É como uma flor fechada que se abre! Mas rapidamente se volta a fechar, quando o avô se fixa novamente na sua cabeça sonhadora e esperançosa.

            E é por isso que admiro o avô, pois num mundo como este, o avô guarda esperanças e não apenas saudades do que, outrora, fora um mundo ideal!

 Margarida Pereira Marques, nº19, 8ºC

Retrato da Palmira 23/02/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012, palavrasdesever.
add a comment

A pessoa que vou retratar chama-se Palmira, tem treze anos e vive em Pessegueiro do Vouga.

Ela tem olhos castanhos como o chocolate, cabelos encaracolados como uma mola. O seu vestuário é cuidado e quase sempre branco ou azul como o céu. O corpo dela é elegante e bonito, o rosto redondo e belo.

A jovem de treze anos é inteligente, pois estuda e trabalha para merecer as notas que recebe. É encantadora, com uma beleza semelhante à beldade do sol, e simpática pelo facto de conviver com todos aqueles que fazem amizade com ela.

Na minha opinião, a Palmira é bonita e trabalhadora, sendo também muito responsável naquilo que faz. Ela é encantadora e muito civilizada.

LUÍS TAVARES, 8.ºC

O rapaz de quem se fala na canção “Baile da Paróquia” 06/02/2012

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012.
add a comment

                  Estava eu junto dos meus irmãos, ao lado da igreja, entretido a jogar “Pokemon” na minha “Game Boy”, quando reparei num rapaz a aproximar-se da minha irmã, a Alzira.

                Ele tinha aparência de ter os seus 20 anos. O meu irmão mais novo, o Casimiro, disse-me que ele se chamava Belarmino e que era dos lados de Valbom de Baixo. O tal Belarmino pareceu ser atrevido, pois não é que o patife se atirou a ela! Ele começou a falar com a Alzira, puxou-lhe o braço, tanto que quase o partia, e agarrou-se a ela, que nem uma lapa numa rocha. Fiquei a mirá-lo e cheguei a um ponto que não aguentei, fui ter com o rapaz e perguntei-lhe se ele não tinha mais nada com que se entreter. E ele, todo lampeiro, a pensar que tinha o rei na barriga, começou a berrar e disse que só estava a falar com a Alzira. Coitado, era um baixote, tinha uma poupa tal que só me apetecia agarrá-lo por ela e esmagá-lo todo, mas tive calma, pois o rapaz tinhas uns olhitos que parecia que me estavam a pedir para não lhe partir a boca. Pus-me a pensar que ele tinha uma cara tão avermelhada, um nariz tão torto e uma boca tão rasgada que nem me apeteceu estragar-lhe mais a “face”.

                Definitivamente decidi não o atacar tão agressivamente, pois ele tinha um dragão nas costas, e deduzi que fosse do F.C.Porto e como eu também sou, e ser portista é uma grande qualidade, dei-lhe o bónus de não o magoar muito. A seguir, ele pegou num maço de tabaco da marca “Justin Bieber” e eu não gostei nada: para além de fumar não fazer nada bem à saúde, a marca daqueles cigarros não valia nadinha.

             Achei-o um pouco extrovertido, talvez porque gostasse de beber, pois mal se aguentava em pé e andava de lado. Parecia que tinha levado com um calhau na cabeçorra! Todavia, o que me irritou mais foram os comentários que ele fez sobre a Alzirinha, mandei-o embora antes que me zangasse a sério com ele. O coitado deve ter chegado a casa todo esfrangalhado, pois ainda foi todo altivo pela rua fora a berrar que era um artista e o meu irmão, o Ernesto, foi atrás dele e deu-lhe uma tareia tamanha que o Belarmino até deve ter visto cervejas a voar.

                No início não o achei muito mau rapaz, mas quando começou a dizer que a minha irmã era uma menina dos papás, fiquei tão nervoso que, se ele não se fosse embora, era eu que lhe partia os queixos. Mas é claro que tinha algo de positivo, que era ser portista.

LEONARDO MACEDO REGO           Nº 15       8ºC

Texto Crítico 16/01/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

Morangos com Açúcar

 

A série Morangos com Açúcar é transmitida na TVI das 19:15 às 20:00 horas.

Esta série retrata a vida dos adolescentes, pois passa-se numa escola e os atores são adolescentes. Os atores são bons, pois representam bem a sua personagem. As bandas sonoras são apropriadas para os mais jovens. Nesta série abordam-se alguns temas como a anorexia, bullying, acidentes rodoviários e é importante os jovens poderem conhecer cada possibilidade de entrar em situações criadas pela atual sociedade. Também falam sobre a reciclagem, porque é importante os jovens cuidarem do ambiente para gerações futuras.

A série é divertida, cultural, informativa e de certa forma moralizante.

 

Beatriz Bastos, 8ºB

 

 

 

Os números de 2011 01/01/2012

Posted by prof_helena in palavrasdesever.
add a comment

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blogue.

Aqui está um excerto:

A sala de concertos da Ópera de Sydney tem uma capacidade de 2.700 pessoas. Este blogue foi visitado cerca de 48.000 vezes em 2011. Se fosse a sala de concertos, eram precisos 18 concertos esgotados para sentar essas pessoas todas.

Clique aqui para ver o relatório completo

“Phineas e Ferb”: o programa preferido do Luís 15/12/2011

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012.
add a comment

Todos os fins-de-semana às 8h e 20min, dá o programa infanto-juvenil “Phineas e Ferb”, no canal SIC.

A série é muito divertida devido ao facto de os personagens principais começarem a construir uma obra disparatada (como uma montanha russa a dar a volta à cidade) que mais ninguém iria imaginar fazer, com o objetivo de se divertirem “à grande”.

Dado que a irmã mais velha os quer apanhar a construir os projetos e mostrá-los à sua mãe, o programa torna-se fascinante.

Todavia, a série tem uns personagens com cabeças formadas por formas geométricas e o horário do programa é cedo.

Em conclusão a série é fantástica e fabulosa.

Luís Tavares, 8º C , Nº 16

Escola de Sever em Luta 14/12/2011

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012.
add a comment

No passado dia 14 de Novembro, na Escola Secundária de Sever do Vouga, iniciaram-se aulas práticas para defesa pessoal.

A escola apostou nestas aulas para sabermos melhor como nos protegermos e atacarmos, quando for necessário. A primeira aula decorreu na sala de convívio, com o acompanhamento da professora Darlene Oliveira. Quem quiser, pode ainda participar ou assistir.

Esta novidade foi bem recebida, pois houve bastante espectadores, embora poucos participantes. Nas próximas sessões, esperamos por mais pessoas interessadas, nem que sejam movidas pela curiosidade.

Tânia Rodrigues,8ºC, nº25

CRÍTICA AO FILME CREPÚSCULO 05/12/2011

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
1 comment so far

Crepúsculo é o mais recente fenómeno entre os adolescentes.  Este filme tem tudo para agradar os adolescentes porque tem todos os elementos que o grande público jovem mais deseja ver num filme que são: fantasia, namoro, pessoas bonitas, final feliz e ambiente escolar, criando uma harmonia com a realidade do mundo adolescente de uma forma natural.

Um dos poucos pontos positivos que vi na atuação dos atores foi o excelente jogo de olhares; nem precisavam de abrir a boca para sabermos o que estava a acontecer; as tonalidades de cor utilizadas no filme, como o uso intenso do cinzento e das cores mortas, estavam apropriadas ao clima que se queria transmitir: frio, tristeza e solidão.

Edward é mais ou menos tudo que uma rapariga sonha (num mundo fantasioso, evidentemente): lindo, protetor da amada e ainda tem superpoderes. Apesar de ter de resistir a sugar o sangue da amada, isto é um detalhe que Bella tenta superar, por isso existe uma tensão entre os dois que nunca passa. Este conflito é transformado em tensão, sofrimento, dor e tudo isso que o amor provoca, mesmo nos seres humanos, envolvendo-nos na ação.

Uma das provas de amor, entre Bella e Edward, é o facto de ele não poder tocá-la, pois tem medo de não resistir e de sugar o amor que sente por ela e, por outro lado, Bella quer ser amada na sua plenitude, nem que para isso precise virar uma imortal como Edward. Quer dar o seu sangue como símbolo maior do seu amor e considero isto como uma grande prova de amor de ambos os lados, o sacrifício pelo outro.

Sempre pensei que os vampiros eram criaturas superiores que desprezavam a vida humana e foi um pouco estranho ver um deles amar e proteger um ser frágil que deveria servir-lhe de alimento, mas esta ideia conquistou-me porque toda a forma de amar pode ser válida mesmo que seja improvável.

Considero que algumas atuações foram fracas, o que se pode observar nos momentos em que se exigia mais emoção e adrenalina por parte dos atores.

Alguns dos efeitos especiais também não me agradaram, nomeadamente aquele que mostra um vampiro a subir uma árvore, a alta velocidade, como se pesasse 1 Kg ou aquele em que sai de uma porta e abre outra instantaneamente.

 Andreia Tavares, nº3, 8ºB

Bullying nas escolas 05/12/2011

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
2 comments

Criança de dez anos foi vítima de Bullying na passada sexta-feira, no recinto escolar, e agora não quer ir às aulas.

Na passada sexta-feira uma criança de dez anos foi agredida com pontapés e estaladas. Ela já havia sido outras vezes agredida por um colega mais velho.

O jovem agressor diz que a criança estava a fazer muito barulho e ele não conseguia ouvir música sossegado, então enervou-se e começou aos pontapés e às estaladas à criança.

A criança ficou cheia de medo e quando chegou a casa contou ao pai e à mãe. Os pais ficaram preocupados com a situação e além do mais a criança não quer ir às aulas.

 (Texto de ficção)

Carolina Coutinho

nº8 8ºB

Vítima de espancamento por causa de tabaco 27/11/2011

Posted by prof_mjoao in 8ºA.
1 comment so far

Um adolescente de apenas 17 anos foi violentamente espancado por um grupo de amigos da escola de Sever do Vouga, na passada sexta-feira.

Tudo começou no exterior da escola de Sever, quando um grupo de amigos se dirigiu a João Silva, aluno da escola, que estava a fumar, pedindo-lhe tabaco. Este recusou-lhes o pedido dizendo que não daria cigarros a ninguém.

Marco Mendes, um dos elementos do grupo, não tendo gostado do que ouviu, agrediu fisicamente João. Rapidamente, os restantes amigos do grupo envolveram-se na confusão, ajudando Marco a agredi-lo.

Este acontecimento foi travado por dois funcionários da escola, quando se dirigiam aos ecopontos para depositar o lixo.

João Silva foi levado para o hospital de Aveiro com lesões graves, podendo mesmo necessitar de ajuda psicológica. O grupo de amigos foi severamente castigado e levaram uma suspensão de uma semana.

(Texto de ficção)

Ana Rita Santos, nº3, 8ºA

Eleições à Porta 21/11/2011

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

No próximo dia 24 de Outubro, realizam-se as eleições, na Escola Básica e Secundária de Sever do Vouga. Em disputa estão as listas Alpha, M e E.

            É com grande expetativa que os estudantes aguardam o resultado das eleições. Depois de uma semana em que as três listas lutaram para conseguir o maior número de votos, apresentando, nesse sentido várias propostas, tal como a promessa de várias festas, o resultado não pode ser mais imprevisível.

            Tal como nos anos anteriores, este ano não foi exceção, as eleições resultam da vontade dos estudantes dinamizarem a escola.

 Beatriz Fernandes, Nº5, 8ºB

Escola com nova cara 17/11/2011

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

A escola Básica e Secundária de Sever do Vouga abriu para mais um ano letivo a 19 de Setembro de 2011.

 Como não poderia deixar de ser, esse dia foi marcado pelas apresentações, seguidas de uma visita guiada pela nova escola, visto esta ter sofrido remodelações.

Depois de uma análise geral, pode concluir-se que esta se apresenta com um aspeto mais moderno, inovador e que vai de encontro às necessidades dos alunos, salientando-se a sala Polivalente, o Anfiteatro e os laboratórios devidamente equipados.

Espera-se que a nova escola não se fique só pela beleza arquitetónica, mas que no final do ano letivo de 2012 esta faça passar para o exterior a beleza dos bons resultados dos alunos.

Diana Pimenta, nº 13, 8º B

Estrela 16/11/2011

Posted by prof_mjoao in 8ºA.
1 comment so far

Eu subia ao céu,

por cima do mar

não para lá ficar

mas para dar-te a ti

uma estrela a brilhar.

 

Aquela estrela,

a mais bonita

numa noite de luar

aí vai ficar

como uma história de encantar.

Ana Rita Silva, nº 4 8ºA

Jovem aluna gravemente ferida 15/11/2011

Posted by prof_mjoao in palavrasdesever.
add a comment

Jovem de 14 anos, aluna da Escola Básica e Secundária de Sever do Vouga ficou gravemente ferida na sexta-feira passada enquanto estava no intervalo.

       Chama-se Joana Coutinho, tem catorze anos e vive em Sever do Vouga. No dia do acidente, a aluna encontrava-se junto a uma grua que transportava uma palete de tijolos, quando de repente um cabo se soltou e caíram vários tijolos. A jovem foi imediatamente transportada de ambulância para o Hospital de Coimbra, onde ainda se encontra com prognóstico reservado. O jornal apurou que a grua é seminova e, por isso, não são conhecidas as causas do acidente. A nossa redação foi tentar obter declarações perante a diretora da escola, que lamentou o sucedido.

Carina Silva, 8ºA, nº6

Agitação na escola de Sever do Vouga 10/11/2011

Posted by prof_mjoao in 8ºA.
1 comment so far

No dia 17 de outubro, na escola de Sever do Vouga, começou a campanha para a associação de estudantes.

          Na escola básica e secundária de Sever do Vouga esteve a decorrer a campanha para a associação de estudantes, verificando-se a existência das listas M, E e Alpha. Nesta altura, costuma haver muita azáfama na escola, pois andam todos a tentar “cativar” os alunos. No próximo dia 24 de outubro realizar-se-á a votação para saber qual deles irá ganhar. 

  Jéssica Coutinho 8ºA

Escola reforça parceria com CLDS 02/11/2011

Posted by prof_helena in 8ºD, Ano Letivo 2011/2012, palavrasdesever.
add a comment

O Agrupamento de Escolas de Sever do Vouga discutiu e aprovou as novas propostas de intervenção da equipa de psicologia do CLDS para o ano lectivo de 2011/2012, no passado mês de Setembro.

A parceria já existente entre estas instituições foi reformulada de modo a dar repostas às necessidades dos alunos, professores, auxiliares e pais/Encarregados de Educação, no âmbito da Psicologia e Formação comportamental/Desenvolvimento Pessoal.

Estes novos projetos contam com intervenções da equipa do Centro Social e Paroquial Mrª da Glória e Contrato Local de Desenvolvimento Social de Sever do Vouga, direcionadas para os diferentes públicos escolares. Irão ser desenvolvidos ateliês destinados aos alunos, para além do acompanhamento psicológico individual, InExpressões (treino comportamental), PerCursos (orientação vocacional). E outros destinados a professores e auxiliares, EducArte e InterAgir. Para pais/Encarregados de Educação serão realizadas sessões mensais de treino parental (designadas de «Clube de Pais»).

Jornalista no terreno: Carolina Hadden, 8ºD

4-2: Pessegueiro do Vouga detém o 4º lugar no campeonato 28/10/2011

Posted by prof_helena in 8ºD, Ano Letivo 2011/2012.
2 comments

No Pavilhão de A.C.R.R.P.V, no domingo, a equipa do escalão Iniciados de Pessegueiro do Vouga ganhou o jogo contra Cucujães por 4-2,assumindo assim no fim da quarta jornada, o 4º lugar do Campeonato Regional de Aveiro.

 Neste momento têm 9 pontos, tendo marcado 26 golos e sofrido 16 durante o campeonato.

Dos quatro jogos, até agora perderam um contra o São João da Madeira, tendo ganho os restantes três (contra o Paivense, o Mealhada e o Cucujães).

Os golos marcados durante o campeonato são da autoria de André Ventura (7 golos), Carlos Rodrigues (6 golos), Diogo Figueiredo (5 golos), Miguel Pereira (1 golo), Pedro Pereira (1 golo) e João Martins (1 golo).

Esta equipa é treinada por dois jogadores que pertencem à equipa dos Seniores, que são o André Martins e o César Rocha. Carlos Rodrigues, jogador, espera “que a equipa continue com o bom trabalho e os bons resultados durante o resto do Campeonato para que consigam chegar ao nacional”.

    Carlos Rodrigues, 8ºD

 

Alunos já estudam em novas salas! 27/10/2011

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012.
add a comment

A primeira fase das obras de requalificação da sede do Agrupamento de Escolas de Sever do Vouga está concluída, faltando alguns acabamentos que serão terminados esta semana.

 No novo edifício estão localizados gabinetes de atendimento e o do cartão do aluno, a sala polivalente, biblioteca e Centro de Novas Oportunidades e ainda a sala de trabalho de professores, bar dos alunos, refeitório, laboratórios, salas de aula, posto de socorro, oficinas e sala de pausa para os funcionários.

 Quélia Ribeiro, 8ºC

Remédio para o mau comportamento 27/10/2011

Posted by prof_helena in 8ºD, Ano Letivo 2011/2012.
1 comment so far

Antimaucomportamentex

Composição

200 ml de silêncio, 1 calmante ralado, 28 gotas de chá de Camomila, 5 gotas de chá de erva cidreira, uma pitada muito pequena de piripiri (para manter o doente acordado).

Forma farmacêutica

Pastilha elástica.

Indicações

Tomar antes das aulas. Só se deve tomar em caso de mau comportamento.

 Posologia e modo de administração

Dos 6 aos 10 anos – meia pastilha antes das aulas.

A partir dos 11 anos– 1 pastilha antes das aulas.

Tomar 5 minutos antes de entrar na sala de aula.

Contraindicações

Se tiver tomado o medicamento não deve conduzir seja o que for.

 Efeitos secundários

Inchaços na língua. Dores de pernas. Morte (1 em cada 100 000 000 000 de pessoas).

Trabalho elaborado por:

 Ana Tavares  nº1  8ºD, David Estrela  nº10  8ºD, Natália Rodrigues  nº23  8ºD, Priscillia Ramos  nº25  8ºD

Atualização do conto “A Bela e o Monstro” (texto livre) 27/10/2011

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012.
add a comment

O conto “A Bela e a Fera” relata a história da filha mais nova de um rico político, que tinha três filhas. Enquanto as filhas mais velhas gostavam de ostentar luxos e de festas com presidentes, a mais nova, à qual todos chamavam Bela, gostava de assistir aos debates do pai, conversar com amigos e tratar bem as pessoas.

    Um dia, esse político foi despedido pelo presidente da República, perdendo assim todo o seu dinheiro, com exceção de uma pequena casa distante da cidade. Bela aceitou a situação, mas as duas filhas mais velhas não se conformavam com perder toda a fortuna e os admiradores, e descarregavam as suas frustrações sobre Bela.

    Ora, certo dia, o político recebeu notícias, via e-mai, de que estavam a criar um gangue para aniquilarem o Presidente da República. Então, resolveu partir. As duas filhas mais velhas, gostaram da ideia, até porque também não gostavam muito do presidente.

    Quando o político voltava para casa, foi surpreendido por uma tempestade e abrigou-se na casota de um cão, chamado Farrusco. A casota era mágica e o político, desonesto como era, aproveitou-se da situação.

    Ao partir, pela manhã, avistou uma reunião de vários outros políticos. Lembrando-se de que ali lhe podiam surgir oportunidades de trabalho, foi até lá. Mas, antes de entrar, foi surpreendido por uma fera que se chamava Sócrates. Esse, impôs-lhe uma condição para viver: deveria trazer uma das suas filhas para se oferecer em seu lugar.

    Ao chegar a casa, Bela resolveu oferecer-se ao temível ex-primeiro-ministro, imaginando que este a devoraria. Ao invés de a devorar, a Fera foi-se mostrando sensível e amável, tratando-a como a uma princesa. Apesar de achá-lo horrível, mal cheiroso e pouco inteligente, Bela apegou-se ao monstro que lhe ia pedindo em casamento, pedido que ela rejeitava.

    Um dia, Bela pediu à Fera que a deixasse visitar a família através de uma chamada via computador, fechada dentro de uma casa, sem o monstro a ver ou ouvir. A Fera aceitou o pedido, com a condição de que ela deveria desligar a chamada passado uma semana. O monstro combinou com Bela que, para esta voltar, bastaria clicar no botão de desligar, localizado por cima do teclado do computador.

    Bela falou alegremente com a sua família, mas as irmãs, vendo-a feliz e rica, sentiram inveja e fizeram com que o pai adoecesse, levando assim a que a Bela prolongasse a sua chamada. Numa noite, Bela sonhou que via a Fera morrer. Então, Bela desligou a chamada e correu para a beira da Fera, mas encontrou-a a morrer no jardim, pois ela não se tinha alimentado mais, temendo que Bela não voltasse.

    Bela compreendeu que amava a Fera e que não podia viver sem ela e confessou ao monstro a sua vontade de aceitar o pedido de casamento. Mal pronunciou as palavras: “Eh pá, Sócrates! Acorda, que eu tenho aqui croquetes!”, a Fera transformou-se num lindo príncipe.

    Casaram e foram felizes para sempre, comendo croquetes todos os dias.

Filipe Pais, nº8, 8ºC

Igreja de Pessegueiro recebe TVI 27/10/2011

Posted by prof_helena in 8ºD, Ano Letivo 2011/2012.
add a comment

Foi no passado domingo que a igreja de Pessegueiro do Vouga recebeu a TVI, que daí transmitiu a missa do dia 16 de Outubro.  

É um orgulho para a nossa localidade saber que a Igreja de Pessegueiro do Vouga difundiu em direto uma missa muito bonita e especial, na opinião de vários espetadores. Foi uma celebração onde apareceram várias caras conhecidas, entre elas a de uma das melhorEs alunas da Escola Básica de Sever do Vouga : Ana Carolina Hadden. 

Gabriel Silva, 8ºD

Remédio para a dor de cotovelo 27/10/2011

Posted by prof_helena in 8ºD, Ano Letivo 2011/2012.
add a comment

1. Denominação de medicamento

Cotuvelex, 400 mg pomada

 2. Composição

           80mg de autoestima

           110mg de vida própria

           90mg de se preocupar consigo mesmo

           120mg de cura para a parvoíce

 3. Forma Farmacêutica

            Pomada

4. Indicações Terapêuticas

            Cotuvelex é uma pomada adequada para pessoas que não têm vida própria e se preocupam mais com a dos outros.

        4.1. Posologia e Modo de Administração

                Adultos: 3 vezes ao dia.

               Crianças: a partir dos 5 anos (até aos cinco anos, esperemos que não seja preciso).

               Dos 6 aos 12 anos: 2 vezes por dia.

               Utilizar na zona do cotovelo.

Efeitos secundários:

Gases incontroláveis. Perda de cabelo. Cãibras.

Contra-indicações:

Pessoas diabéticas.

Bula feita por:

Ana Beatriz Carvalheira Nº2 8ºD, Bruna Pereira Nº6 8ºD, Cláudio Gomes Nº9 8ºD, Fátima Ribeirinha Nº19 8ºD

Vai para a “bicha”! 27/10/2011

Posted by prof_helena in 8ºC, Ano Letivo 2011/2012.
1 comment so far

Na Escola Básica e Secundária de Sever do Vouga, já nas novas instalações, ouvem-se algumas críticas dos alunos acerca da fila na cantina. Todos os dias a fila está enorme, fazendo com que os utilizadores fiquem tempo excessivo à espera de uma refeição.

Pensa-se que este problema se deve ao facto de, para tantos estudantes, a cantina ser demasiado pequena, o que faz com que o tempo de espera aumente e origine uma fila mais extensa. Por agora ninguém sabe a solução para o problema, mas estes alunos esperam que se faça algo, de modo a que se não perca parte da hora de almoço na “bicha”da cantina.

Beatriz Ribeiro, 8ºC

RECORDAÇÕES… 29/06/2011

Posted by fatimapoirier in 9ºB, Ano Lectivo 2010/2011.
1 comment so far

     Enquanto caminhava pela minha antiga escola básica do primeiro ciclo, no centro de Ribeiradio, tentava lembrar-me dos jogos e das brincadeiras que fazia com todos os meus amigos.

     Havia algumas diferenças naquele local que me distorciam as poucas memórias que me restavam. Lembrava-me que existia um pequeno parque infantil com escorregas e baloiços e agora tinham sido substituídos por lugares vazios.

     Fui caminhando mais um pouco, até que entrei no interior da Escola e vi a minha antiga sala de aulas, com mesas e cadeiras tão pequenas e que já me pareceram tão grandes.

     Lembrava-me de estar ali sentada, na primeira mesa junto à secretária da professora, com todos os meus livrinhos encostados a uma das pontas da mesa e com o meu copo, onde guardava todos os meus lápis e canetas. As mesas eram velhas e algumas das cadeiras estavam partidas, mas a sala era acolhedora e quente nos meses de Inverno e fresca nos meses de Verão, quando muitos de nós vínhamos suados e cheios de calor do intervalo.

     E agora, passados seis anos, tudo tinha mudado, até eu, que já nem conseguia vestir as minhas velhas roupas de criança. Sentia saudades daqueles tempos e todas as memórias que tenho, ficarão para sempre guardadas no meu coração.

        (Texto escrito por Mafalda Ribeiro, nº 12, 9º)

MEMÓRIAS 29/06/2011

Posted by fatimapoirier in 9ºB, Ano Lectivo 2010/2011.
add a comment

                Passavam já seis anos desde a última vez que regressara àquela pequena vila perdida entre os vales, perdida no meio da floresta, no meio do nada. Ia caminhando pelas estreitas ruas que serpenteavam as casas de pedra e agora também casas modernas. Eram recentes, pois não me lembrava delas.

                À medida que ia avançando pela estrada, várias recordações voltavam, apareciam outra vez. Mas eram memórias já manchadas com o tempo, algumas desfocadas, outras já rasgadas.

                Uma fragrância conhecida entrou pelas minhas narinas e percorreu todo o meu corpo. Era o doce perfume de aletria acabada de fazer e salpicada com canela, que outrora era rara na vila. Fez-me lembrar os natais da minha infância, da minha avó a fazer aletria, da minha ansiedade em descobrir o que se encontrava dentro de todas aqueles pacotes embrulhados que rodeavam a gigante árvore de Natal.

                Atrás dessa vieram muitas outras lembranças, como a maior queda da minha vida em frente da igreja matriz, de todos os aniversários, de todos os amiguinhos, das brincadeiras, das birras, das perdas, dos erros, de toda a inocência que apenas as crianças têm.

                Foi naquela vila que eu aprendi a ser alguém.

                                          (Texto escrito por Carolina Martins, nº 5, 9ºB)

Texto de opinião 28/06/2011

Posted by prof_zita in palavrasdesever.
add a comment

Na minha opinião concordo com a frase de Fernando Pessoa. Até aos dias de hoje todas as grandes expansões e mudanças levaram vidas com elas. O sacrifício das vítimas é necessário para além de que sem esse sacrifício, ou seja, um lado duro e difícil na evolução, não lhe daríamos valor. Toda a nossa compreensão de heroísmo baseia-se no facto que um Homem supera algo que à partida seria impossível.

Em segundo, tal como disse, todas as mudanças, trazem consequências mas, ainda que as pessoas morram, a memória das suas obras prevalece impedindo que elas sejam esquecidas.

Resumindo, se a vontade de fazer algo pela qual sejamos recordados for grande, “tudo vale a pena”.

 

José Almeida, 9º A

Texto de opinião 28/06/2011

Posted by prof_zita in palavrasdesever.
add a comment

 A importância e o impacto que os Descobrimentos tiveram na economia e cultura tanto a nível nacional como mundial é enorme e é impossível saber como estaria a nossa sociedade sem estes acontecimentos.

De um ponto de vista sentimentalista, o sofrimento das famílias dos navegadores podia ter sido evitado, mas, neste caso, eu acho que foram mais os benefícios do que os prejuízos.

Quando Fernando Pessoa diz “tudo vale a pena se a alma não é pequena” eu interpreto que se pensarmos na abertura de mentalidades, na riqueza, na transmissão de conhecimentos e muito mais, todas as dificuldades e tristezas parecem muito pequenas.

Os Descobrimentos são a “Época Dourada” do nosso país e é algo que deixa todos os portugueses orgulhosos da sua História. E apagar essa página em prol de algumas pessoas não me parece uma decisão acertada.

Resumindo, estou de acordo com o poeta e penso que valeu a pena.

 

Daniela Morence, 9º A

Texto de opinião 28/06/2011

Posted by prof_zita in palavrasdesever.
add a comment

“Tudo vale a pena se a alma não é pequena” -assim dizia Fernando Pessoa.

 

Em primeiro lugar, penso que o autor queria falar sobre outros assuntos que não envolvessem a perda de vidas humanas, pois sem essas perdas, na minha opinião, “tudo vale a pena se a alma não é pequena”.

Homens corajosos foram capazes de entregar a sua vida em nome de uma causa, um rei, um povo. E foi com este pensamento que eles terão partido em busca da terra das especiarias, a Índia, com a consciência das dificuldades que iriam passar e as suas consequências, mas também que se conseguissem ultrapassar todas essas peripécias seriam conhecidos mundialmente, graças à sua coragem e bravura.

Outra coisa que me leva a pensar que este era um sacrifício necessário, é a alcunha por que somos conhecidos hoje, como os “descobridores”. O que significa que as nossas histórias e aventuras não foram esquecidas, e que ainda hoje os outros povos se deliciam a escutar as nossas histórias.

São estas e muitas outras razões que me levam a pensar que tem de existir sempre algum sacrifício para alcançar os nossos objectivos.

 

Rui Barbosa, nº 17, 9ºA

Poema com a Letra “T” 15/06/2011

Posted by prof_helena in 7ºC, Ano Lectivo 2010/2011.
1 comment so far

Tia Teresa Tavares, trouxe à tapada das Toranjas uma taça de tomate, tapadinha, para todos.

À toa, Tiago, de topete, tontinho, destapou a taça, tombou-a.

Teve em troca um tabefe na testa e tornou a tapar a taça, muito temeroso da Titi Teresa.

– Teimoso do miúdo, e ele a teimar! É tolo.

Tratou de tapar tudo bem tapadinho e não houve tomatada para ninguém naquela tarde, tardia, de tamanha confusão.

 

Beatriz Tavares Ribeiro, nº3, 7ºC

Dia da Mãe 15/06/2011

Posted by prof_helena in 7ºC, Ano Lectivo 2010/2011.
add a comment

Como uma grande flor

Airosa, linda e fascinante

Realmente és das melhores mães, és…

Leal, amável e amistosa

Adoro-te incondicionalmente.

 

Meu amuleto tu és

Ajudas-me e ouves-me sempre, sem nunca o recusar

Responsável, risonha e inesquecível

Insubstituível

Assim a minha mãe é!

 

Beatriz Tavares Ribeiro, nº3, 7ºC

Receita do João e do Eduardo para passar de ano 05/05/2011

Posted by prof_helena in 7ºD, Ano Lectivo 2010/2011.
1 comment so far

INGREDIENTES:

-1 dúzia de livros;
-1 chávena de chá de atenção;
-100 gramas de inteligência;
-2 doses de bom comportamento;
-1 colher de sopa de material escolar;
-1 Kg de perguntas sobre a matéria;
PREPARAÇÃO:

-Acenda o seu cérebro e verifique se está ligado a 100ºC, juntando uma dose de livros;
-Ponha 1 Kg de perguntas numa taça;
-Bata essas perguntas na betoneira, juntando uma colher de sopa de material escolar e acrescente aos poucos uma chávena de chá de atenção;
-Enquanto está a bater esses ingredientes junte cem gramas de inteligência e duas doses de bom comportamento;
-No final, misture tudo e ponha no frigorífico.

João Correia e Eduardo Ribeiro, 7ºD

Receita para o teu primeiro encontro 26/04/2011

Posted by prof_helena in 7ºC, Ano Lectivo 2010/2011, palavrasdesever.
add a comment

Ingredientes:

coracao

2 embalagens de gel

2 embalagens de elixir de rosas

1 pequeno frasco de perfume para o hálito
1 ramo com rosas vermelhas e brancas
1 pacote de chocolates em forma de coração
1 olhar sedutor
24 dentes branqueados (os restantes não interessam)

Preparação:

Liga o secador, seca o cabelo e coloca uma embalagem de gel, quanto à outra guarda-na na mochila para o momento do encontro.

Toma o teu banho e de seguida coloca uma porção de elixir, quanto à outra, coloca-a cinco minutos antes de te encontrares com a rapariga.

De seguida lava os teus vinte e quat

ro dentes (os mais à vista) e usa também uma embalagem de perfume para o hálito.

Leva ainda o ramo de rosas vermelhas e brancas e juntamente, um pacote de chocolates em forma de coração.

Aproveita bem o encontro!

“Chefs”: Filipe Pais e João Pereira, 7ºC

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.