jump to navigation

Carta do marinheiro João Silva, da armada de Vasco da Gama, à sua saudosa esposa 21/05/2013

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano letivo 2012/2013, palavrasdesever.
add a comment

Ilha de S. Lourenço, 24 de Abril de 1490

 Olá, querida esposa,

Espero que esteja tudo a correr bem aí em Portugal. Por cá a vida não é fácil, mas cada vez estamos mais perto do objetivo final, o que me deixa bastante satisfeito.

Infelizmente, o Mário foi para o céu, apanhou uma doença e não resistiu.

Há uns meses só via uma imensidão de água por todo o lado, no entanto agora encontro-me na ilha de S. Lourenço, uma ilha bonita mas muito pequena, talvez trinta vezes menor que Portugal.

Neste lugar, as pessoas são muito amáveis, deram-nos comida, cobertores e indicações para prosseguirmos a viagem, trataram-me como um rei. Vasco da Gama é um excelente capitão e por vezes à noite, quando o mar está calmo, conta-nos histórias antigas e algumas também recentes. Lembras-te da história de Inês de Castro? Aquela que o povo ia contando, cada um à sua maneira? Ele contou-nos essa mesma história, é linda!

Vasco da Gama é um homem muito sábio, temos aprendido muito com ele. No fundo, somos uma grande família, unida, compreensiva e muito corajosa.

Estou a morrer de saudades tuas e dos meninos, mal vejo a hora de vos ter nos meus braços. Espero que esteja tudo a correr bem, vou mandando cartas sempre que puder.

Gosto muito de vocês,

João

Trabalho de Elsa Morgado, 9.º C

Anúncios

Carta de um marinheiro da armada de Vasco da Gama 09/05/2013

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, palavrasdesever.
1 comment so far

a


                                                                                                                                        Ilha das Cores, 24 de Abril de 1490

Amada mãe,

Vida de marinheiro é difícil. Não só porque passo dias a fio a trabalhar (a minha função é limpar os aposentos do senhor Vasco da Gama), mas também porque de noite não consigo dormir, ou porque estamos a passar por locais de muita turbulência, ou porque simplesmente vivo com o medo de me acontecer alguma coisa.

Mas nem tudo são coisas péssimas, há acerca de duas semanas, não me recordo bem da data, fomos dar à costa de uma pequena ilha deserta. Por aí ficámos durante dois ou três dias, mas deu para relaxar um pouco e reunir forças para suportar a viagem que ainda falta.

A ilha era muito verde, com vários lagos, e muito bonita, do mais bonito que vi em anos! É, para mim, difícil de descrever, pois não tenho palavras, de noite o céu estava cheio de pintinhas reluzentes e, certa noite (uma daquelas em que dormi) sonhei! Sonhei contigo a cozinhar em nossa casa, com os meus irmãos a correr por toda a parte. Sinto mesmo muito a vossa falta, é como se tivesse um buraco no meu peito e a ideia de sucumbir nunca desaparece.

A única maneira que encontro de me manter vivo é ter a esperança de te poder voltar abraçar. Vivo para isso.

Com muito amor,

João Pinho

Autora: Carolina Rodrigues, 9.º C

(mais…)

Visita ao Mosteiro dos Jerónimos 14/02/2013

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano letivo 2012/2013.
1 comment so far

7960426_1qZldNa passada sexta-feira, dia 11/1/2013, os alunos do 9.º ano de Sever do Vouga, foram assistir a uma peça de teatro, o Auto da Barca do Inferno, no Mosteiro dos Jerónimos.

Da autoria de Gil Vicente esta interessante peça leva-nos para um purgatório onde são julgadas várias pessoas (de diferentes classes sociais), como por exemplo a alcoviteira, o sapateiro, o frade, o judeu, o onzeneiro, entre outras. Estes depois irão saber o seu destino (se irão para o céu ou para o inferno).

A peça revela muito humor e criatividade, como nos foi dado a entender pela aluna do 9.º C, Quélia Ribeiro (14 anos) que nos disse: ‘a peça é uma coisa fora do normal, transporta-nos para outra dimensão, o que é realmente espetacular!’.

Levada à cena pela companhia de teatro Ar de Filmes, numa encenação de António Pires, aqui fica uma sugestão para um dia bem passado.

Quélia Ribeiro, 9.ºC

 

A lenda do galo de Barcelos 12/11/2012

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano letivo 2012/2013.
add a comment

“Há muitos anos, passando em Portugal, uma família de peregrinos foi hospedar-se numa estalagem dessa mesma cidade, levando consigo um saco cheio de farnel.

Mas como o estalajadeiro era muito ganancioso chamou a polícia dizendo que a família de peregrinos o tinha roubado. Quando chegou a polícia disseram ao chefe da família de peregrinos que ele estava condenado á morte. O chefe dos peregrinos disse:

– É tão verdade eu estar inocente como este galo cantar!

E o mais engraçado de tudo é que, ao chefe da família dizer isso, o galo cantou mesmo.

E agora além da tradição oral, existe também a canção, a estátua do nosso senhor do galo e o galo feito de barro colorido. Esta estátua do nosso senhor do galo situa-se à saída de Barcelinhos.”

 

Recolha feita por Elsa Morgado, 9.ºC

Lenda da Moura da Cerqueira 30/10/2012

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, 9ºD, Ano letivo 2012/2013.
add a comment

“No tempo em que os mouros dominavam esta região, uma moura muito grande e muito arrogante, quando dava os seus passeios levava o filho ao colo e uma roca para fiar o linho. Certo dia sentou-se na borda do caminho, para amamentar o filho e apareceram-lhe inimigos em grande número. Ela para se salvar transformou-se numa pedra moura. Ainda agora, os habitantes do Coval e da Cerqueira, em certas noites de Lua Cheia, ouvem os gemidos da moura.”

http://www.cm-sever.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=102&Itemid=79

Recolhida por

Dylan Ramos, Carlos Rodrigues, Gabriel Silva, Bruna Pereira e João André, 9.ºD

Beatriz Ribeiro, 9.ºC

“Billy Elliot”, uma película única 16/10/2012

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano letivo 2012/2013.
1 comment so far

            ‘’Billy Elliot’’ é o mais recente filme do premiado realizador Stephen Daldry, contando com o argumento de Lee Hall. Este é um drama de 2000, que nos presenteia com grandes nomes, como Jamie Bell no papel do brilhante e humilde rapaz provinciano que luta pelo seu sonho de ser bailarino, contudo vive também com a reprovação do pai, interpretado por Gary Lewis, que acredita que o ballet é uma dança apenas para meninas.

                Esta película não podia ser mais bela, pois relata um problema muito atual na sociedade, o preconceito. Apesar disso, Billy consegue ultrapassá-lo, tornando-se num excelente dançarino. Gostei particularmente do momento da aceitação do pai para com o filho, pois foi muito comovente; apreciei também o desinteresse de Billy pela opinião dos outros, demonstrando uma enorme força interior. Não encontro partes menos boas neste filme.

               Recomendo vivamente, pois é uma história de tal modo envolvente, que o vai deixar preso ao seu televisor. É sem dúvida uma película essencial e única!

Carolina Rodrigues, 9.º C

“Billy Elliot”, uma película entusiasmante 16/10/2012

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano letivo 2012/2013.
add a comment

           O famoso filme de Stephen Daldry, “Billy Elliot”, produzido em 2000 na Inglaterra, fez êxito contando a história do conhecido bailarino Billy Elliot.

            Nesta biografia, Billy (Jamie Bell), descobre, através das aulas de ballet de Mrs. Wilkinson (Julie Walters), que esta dança é a sua paixão e vocação. Inicialmente contrariado pelo pai (Gary Lewis) e lutando contra todos os estereótipos, desde os da homossexualidade aos do ballet “ser para meninas”, Billy alcançou sucesso.

            Esta obra é um excelente exemplo de como se deve lutar pelo que se deseja, e também de como não devemos ligar a preconceitos e a críticas não construtivas. Recorre, por vezes, a calão, o que pode ser interpretado como um defeito, mas tanto esse como outros aspetos completam uma perfeita caraterização da situação em que o biografado vivia.

            Um filme autêntico, adequado para ver em família ou mesmo sozinho, “Billy Elliot” é uma película entusiasmante, com um excelente elenco e uma grande história.

Margarida Marques – nº18 – 9ºC

“Billy Elliot”: vive os teus sonhos 16/10/2012

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano letivo 2012/2013.
add a comment

Esta obra, baseada numa história verídica, conta todo o percurso deste jovem rapaz, desde as aulas de ballet secretas de Mrs. Wilkinson à grande academia de dança, e também todos os obstáculos e preconceitos que teve de superar.

Billy Elliot, interpretado por Jamie Bell, debate-se com um conflito interno, o seu amor pela dança e o preconceito do seu pai, protagonizado por Gary Lewis.

A história passada numa pequena localidade de Inglaterra tem vários elementos relacionados com a sociedade que nos fazem refletir.

O desempenho do ator principal ajuda a viciar o telespectador à trama, fazendo-nos sentir toda a dor, raiva e felicidade que aquele  sente.

O único aspeto menos favorável será, provavelmente, o uso de calão pelos pai e irmão de Billy ao discutirem com este, o que poderá surpreender os mais jovens.

É uma película sonhadora, mas ao mesmo tempo real. Não só nos faz fazer uma retrospetiva como nos ensina a viver os nossos sonhos à margem das opiniões alheias.

 Mª Leonor Tavares de Carvalho, nº19           9ºC

24/01/2011

Posted by fatimapoirier in 9ºC, Ano Lectivo 2010/2011.
add a comment

PEQUENOS GRANDES GESTOS

Eu bem a via, todas as manhãs, pequena, loira… Sentia o cheiro delicado a pão fresco e a pastéis acabadinhos de fazer. E eu sabia que o seu olfacto jamais iria falhar, afinal ela passava ali todas as manhãs e aquela não era excepção. Mas eu também sabia que ela não os ia provar, só saborear o cheiro. Senti pena e frustração por não fazer nada para a ajudar.

Levava no regaço o que a sua mãe lhe mandara: o doce de abóbora, o mel, as couves e os ovos caseiros. Sentia vergonha, eu bem via, por vender na praça pública, no meio de tantos empurrões, coitada!

Como ela era pequena, ainda lhe achavam graça, e compravam-lhe o pouco que vendia.

Se vendesse tudo tinha direito, quando chegasse a casa, à sopa morna e ao pedaço de pão, e à história no leito do sono, protagonizada por uma princesa.

Era raro não vender tudo, e assim aconteceu; o que ela não esperava era a chuva que caía a cântaros, e o seu frágil casaco remendado a fizesse ficar com frio e molhada. Passou pela pastelaria e o cheiro era agora mais intenso e pela vitrina via-se pessoas bem vestidas e quentes sorvendo bebidas fumegantes.

E foi agora, que o que eu não esperava aconteceu… alguém com bom senso do outro lado da vitrina, reparou na pequena, foi ter com ela e ofereceu-lhe algo quente para comer e beber. E a menina com os olhos muito abertos disse que sim, pois a fome bem a apertava.

E é assim que nos vivemos de pequenos grandes gestos.

Crónica de Andreia Bastos, nº 6, 9ºC

Os ACRPVíadas 07/05/2010

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano lectivo 2009/2010, palavrasdesever.
add a comment


A fama dos pêssegos1 assinalados

Que do ilustre jardim2 ou da nobre gaiola3

Por jogos todos os domingos disputados

Jogando com amor à camisola

E em torneios e jogos esforçados

Mais do que o sonhado na sublime terriola

Entre gente remota conquistaram

Novos inimigos que sempre enfrentaram;

….

E também as memórias gloriosas

De dois mil e um, aí iniciando

Novas e nobres equipas valiosas

Que de Pessegueiro a Vigo foram conquistando

E aqueles que por vitórias grandiosas

Se vão do banco libertando

Jogando e vencendo por toda a parte

Espalhamos a nossa fé e arte.


Notas:

1 Jogadores do ACRPV

2 Jardim de Sever do Vouga

3 Pavilhão do ACRPV

ACRPV significa Associação Cultural, Recreativa de Pessegueiro de Vouga

Tiago Henriques nº 21

Miguel Henriques nº 17

Leonardo Martins nº 15

“Os Sportinguíadas” 30/04/2010

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano lectivo 2009/2010.
add a comment

Canto I

1

As garras e os dentes assinalados

Que da capital grandiosa de Portugal,

Em estádios nunca antes disputados

Jogaram como se fossem uma final;

E em competições e derbis esforçados,

Mais que todos os outros em Portugal,

No passado sempre conquistaram

Nova glória, com que tanto nos honraram.

2

E também as memórias grandiosas

Dos fundadores de 1906 que começaram

Nova Era , e as terras viciosas

Que da Espanha à Alemanha domaram

Com grandes vitórias valiosas,

Chuteiras e bolas sacrificaram,

Adeptos com orgulho cantando

O hino do Sporting vão divulgando.

3

Cessem de Jesus e mais felinos

As deambulações grandes que fizeram,

Ajoelhem perante os leoninos

A fama das vitórias que tiveram,

Que eu canto peito ilustre dos meninos

A quem todos os clubes obedeceram!

Cesse tudo o que Record e Bola cantam,

Que outros valores mais altos se alevantam!


Trabalho elaborado por:

-Cláudio Asêncio

-Emanuel Onofre

– Márcia Costa

“Os Estudantíadas” 30/04/2010

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano lectivo 2009/2010.
add a comment

A fama dos non’anos assinalados
Que desta nortenha escola divinal,
Em pavilhões nunca antes visitados,
Disparataram até ao final,
Em cérebros e cábulas esforçados
Mais do que se sonhava em Portugal,
E entre contas e versos conquistaram
Novo Ano, que tanto sublimaram.

E também as atitudes gloriosas
Daqueles alunos que se foram safando
Passeios, intervalos, aulas vergonhosas
De sala a sala andaram devastando
E aqueles que por notas valerosas
Se vão da lei da nega libertando,
Cantando espalharei por toda a parte
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.

Cessem professores e encarregados
Os grandes sermões que nos fizeram.
Calem-se! Que ficamos desnorteados
Com a fama dos cincos que tiveram
Que eu canto o peito ilustre dos desgraçados,
Estes que nunca vos obedeceram.
Cessem regras do regulamento interno
Que se levanta outro valor mais terno.

Beatriz Graça, Fábio Castro, Mónica Marques – 9ºC

O livro da vida do Fábio Castro 15/04/2010

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano lectivo 2009/2010.
add a comment

 

 

Título do Livro: Ulysses Moore – em busca do mapa desaparecido.

Autor: Pierdomenico Baccalario

Classificação: Aventura

 

Cinco razões para a leitura deste livro:

– Gosto de livros relacionados com locais históricos e este livro tem como cenário o Egipto, um lugar que gostava de conhecer.

– Fala de uma viagem no tempo e acho divertido poder imaginar-me numa aventura assim.

– É um livro que faz pensar pois tem vários enigmas.

– Tem várias ilustrações e o tamanho da letra facilita a leitura.

– O enredo é muito interessante e viciante.

Fábio Rafael Oliveira e Castro,9º C Nº: 11

Auto-retrato (sem reservas) 10/04/2010

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano lectivo 2009/2010, palavrasdesever.
1 comment so far

Que pessoa temerosa será esta?
Alguém bom, ou mau?
Talvez seja apenas eu!
A vida a retroceder, cada vez mais chato
Mais sozinho, mesmo mais inútil.

Dizem que no meu cabelo
Está o extravagantismo
Nos meus olhos o egoísmo
E ainda que na minha boca
Moram escárnio e mal dizer!

Num acto tão complicado
como o de pensar
reflicto
Serei eu tão má pessoa
De modo a que tenha ganho
Coragem de escrever este texto,
Ou os outros são todos introvertidos?
talvez sejam todos retrógados.

Rodrigo Pinho, 9ºC

Os heróis da Mónica 12/01/2010

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano lectivo 2009/2010.
1 comment so far

Não tenho nenhum herói ou heroína em concreto. Os meus amigos todos em conjunto formam o meu herói. São eles que estão comigo nos bons e nos maus momentos, quando eu rio ou choro, quando eu faço o bem ou asneira, são eles que me apoiam. São eles que estão sempre ao meu lado quando eu preciso ou mesmo sem precisar. São eles, os meus amigos verdadeiros, os meus grandes heróis.

 

Mónica Marques, Nº16, 9ºC

O maior tesouro do mundo 19/12/2009

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano lectivo 2009/2010.
2 comments

O maior tesouro do mundo é a paz.

Durante todo o nosso passado, a guerra trouxe-nos mortes, detruições e grandes crises, tanto sociais como económicas.  Se o dinheiro gasto em poderio militar, fosse gasto em prol da erradicação da fome, ou na instalação de saneamento básico dos Paises em desenvolvimento, o mundo seria melhor. É por isso que eu considero que a paz é o maior tesouro do mundo, pois permite direccionar bastantes fundos para o bem mundial em vez de ser utilizado em guerras e outras coisas menos importantes.

Rodrigo Pinho, 9ºc, nº 21

“O Tesouro”, de Eça de Queirós, em banda desenhada 29/11/2009

Posted by Professor@_AESV in 9ºA, 9ºB, 9ºC, 9ºD.
1 comment so far

Esta prancha de banda desenhada faz parte de uma adaptação feita por Marcelo, um autor brasileiro, do conto que temos vindo a estudar nas aulas. Dêem uma espreitadela ao seu blogue (AQUI) para apreciar o resto da história.

Qual é o maior tesouro do Mundo? 23/11/2009

Posted by Professor@_AESV in 9ºC, Ano lectivo 2009/2010, palavrasdesever.
1 comment so far

Para mim, o maior tesouro do Mundo é o amor.

O viver a pensar no outro, o viver para o outro, a entreajuda, o apoio das pessoas mais chegadas, a partilha da dor e da alegria com elas.

Tudo isto é a razão para a vida.


Mónica Marques, nº16, 9ºC

Gandhi Mahtma 01/03/2009

Posted by fatimapoirier in 9ºC.
3 comments

           

            Chamava-se Gandhi Mahtma, era um grande homem. Nasceu para ajudar os outros. Começou o seu percurso quando foi vítima de racismo, por ser de outro país e por estar bem posicionado na vida. Gandhi era advogado, estava a ir para a Índia em trabalho, e por lá ficou.

                Existem homens com uma estrutura forte e por dentro não são nada. Já Gandhi era magrinho e baixo, mas por dentro estava cheio de coragem, força de vontade. Para muitos, um herói. A sua esposa ajudava-o nos seus problemas. Foi preso muitas vezes, só porque lutou pelos direitos dos outros. Muitas foram as pessoas que se arrependeram, na presença de Gandhi Mahtma. Na maior parte das vezes conseguia o que queria através de protestos, pequenos actos e até greves de fome. Com algumas dessas greves ia ficando tão doente que, às vezes, parecia que ia morrer.

                Já muito velhinho Mahtma sofreu com a morte da mulher. Num dia de festa, estavam muitas pessoas eufóricas, só por lhe tocar. Alguém se aproximou disfarçadamente, no meio da multidão, e deu-lhe um tiro mortal.

                Na morte uma grande perda, em vida um grande exemplo.

 

Texto elaborado por Mariana Magalhães, nº 13, 9ºC

 

 

 

 

11/02/2009

Posted by fatimapoirier in 9ºC.
add a comment

 

Harry Potter e os Talismãs da Morte

J. K. Rolling

 

        “Harry Potter e os Talismãs da Morte” é o sétimo livro de J. K. Rolling escrito em meados de Agosto de 2007.      

            Depois da “Pedra Filosofal”, da “Câmara dos Segredos”, do “Prisioneiro de Azkaban”, do “Cálice de Fogo”, da “Ordem da Fénix” e do “Príncipe Misterioso”, já chegou às livrarias o último livro da era Harry Potter que conta com novas personagens tais como o irmão de Albus Dumbledor, o famoso professor da escola de magia de Hogwarts. Contém persona­gens já conhecidas dos leitores, entre eles, os melhores amigos de Harry, Ron e Hermione que muito o ajudarão nesta nova aventura.

            É um livro que se destaca pelo seu suspense e pela sua criatividade. A autora decidiu surpreender escrevendo este novo êxito que é o melhor de todos.

            É neste livro que o famoso Harry Potter vai tentar salvar o mundo mágico travando a emocionante batalha contra Voldemort seu inimigo número um.

            A sessão de autógrafos realizada foi um sucesso com a participação de várias faixas etárias e nacionalidades.

            Uma boa aventura para se ler do princípio ao fim durante as frias e chuvosas noites de Inverno.

(Bernardo Rodrigues, nº 4, 9ºC)