jump to navigation

Focus móvel 3000 (Oficina de escrita – texto expositivo sobre um meio de transporte) 12/11/2015

Posted by prof_mjoao in 9ºA.
add a comment

O primeiro projeto pensado por Filipe Roscof teve lugar no ano 3000, mas, devido a um problema, Filipe só o concretizou em carro_asas5181 na Cofilândia, dando-lhe o nome de Focus móvel 3000, ano em que o projeto foi teoricamente concebido.

Filipe Roscof era um homem que se atrasava muito, por isso um dia teve a ideia de inventar um transporte que fosse muito eficaz. Começou por elaborar o desenho e pensou em aplicar-lhe umas asas e um casco. No Focus móvel 3000, Filipe aplicou um par de asas, um casco, rodas à escolha (grandes ou pequenas) tudo com o carregar de um simples botão disponível, sem esquecer o volante, piscas e outros acessórios que qualquer carro no passado já tinha. Foi feito com o mesmo material dos carros existentes, mas apresentava o extra das bebidas, da música e da comida confecionada na hora, num abrir e fechar de olhos.

Este transporte teve muito impacto na sociedade porque é movido a ar, desloca-se muito rapidamente para todo o lado, não deita fumo e assim não polui o meio ambiente.

Em suma, o Focus móvel 3000 veio ajudar o consumidor, sendo vendido a um preço muito acessível.

 

Cláudia Ribeiro Nº7 9ºA

Barco Voador (Oficina de escrita – texto expositivo sobre um meio de transporte) 12/11/2015

Posted by prof_mjoao in 9ºA.
add a comment

O barco voador começou a surgir no mês de maio em 2945, pela mão de Oliver Salgado, mais especificamente o seu plano foi-seBarcovoador desenvolvendo no Cais Peixoto Do Sado, onde Oliver tinha a sua pequena oficina.

Oliver, depois de várias tentativas durante 10 anos, só conseguiu concluir a sua ideia em 2955. Tudo foi surgindo aos poucos e poucos. Ele adorava navegar pelo mar dentro, mas também gostava de voar sobre as nuvens. O sonho de um dia poder conciliar ambas as artes era cada vez maior, daí ter surgido a ideia do Barco Voador. Foi complicado ao início, mas passados dez longos anos conseguiu inventar um transporte novo, com a forma de um barco mas com as capacidades de um avião.

Oliver decidiu contruir o barco com metal inoxidável, forrado com madeira para dar um ar rústico, continha grandes motores em forma de asas, tinha imensas diversões, incluindo piscina, espaços de descontração e lazer e ainda grandes salões.

Quando Oliver viu o seu sonho e todo o seu suor transformado num belo trabalho, nem acreditava que tinha conseguido, mas estava preocupado com o facto de não conseguir ter sucesso com a sua obra de arte. E se o achassem uma fraude?

Mas no dia em que Oliver apresentou a sua grande obra de arte ao mundo, esta fez o maior sucesso e ele sentiu-se honrado por o seu trabalho ter valido a pena.        Oliver ficou marcado como o inventor do grande Barco Voador.

 

Beatriz Nunes Nº3 9ºA

O Poderoso (oficina de escrita – texto expositivo) 11/11/2015

Posted by prof_mjoao in 9ºA.
add a comment

Este meio de transporte é um unicórnio com a capacidade de voar e andar sobre terra. Surgiu no século unicórnioL, obviamente na China.

Sonhar com um unicórnio com asas e rodas, é algo fascinante. Damário Lopes, o sonhador imaginário, é um Português que vive na China. Quando teve o magnifico sonho, achou graça e, juntamente com um chinês, criou o unicórnio.

Este unicórnio é um peluche (azul, verde, rosa e amarelo), tem as orelhas vermelhas, as asas brancas, as rodas pretas e o volante de diamantes. O seu combustível é gás, algo barato. O unicórnio, cujo nome é “o poderoso”, tem a capacidade de transportar 2 pessoas em cada viagem, pelo preço de 200 euros cada (fazendo um desconto quando vão duas pessoas), dando o poder de ter sonhos maravilhosos durante a viagem. Podem viajar sonhando com um belo jardim, com a praia ou, por exemplo, algo realmente perfeito, como sonhar que se passeia por entre as nuvens. Nunca ninguém em tempo algum sonhou que este transporte algum dia fosse possível.

O poderoso já foi usado por cerca de 1 milhão de pessoas de todas as nacionalidades. Damário Lopes e o chinês já ganharam muito dinheiro à custa deste unicórnio e com toda esta fama continuará a existir, pois todas as pessoas viajam até à China, à sua procura.

Raquel Neves, nº20, 9ºA

BACO 05/06/2013

Posted by prof_mjoao in 9ºA, palavrasdesever.
add a comment

baco2Na mitologia romana, Baco era o deus do vinho, das festas, do lazer, do prazer e da folia. Filho do deus Júpiter (deus do dia) com a mortal Sêmele, Baco era considerado pelos romanos como um amante da paz e promotor da civilização.

Sêmele quando estava grávida exigiu a Júpiter que se apresentasse na sua presença em toda a glória, para que ela pudesse ver o verdadeiro aspeto do pai do seu filho. O deus ainda tentou dissuadi-la, mas em vão. Quando finalmente apareceu em todo o seu esplendor, Sêmele, como mortal que era, não pôde suportar tal visão e caiu fulminada. Júpiter tomou então das cinzas o feto ainda no sexto mês e meteu-o dentro da barriga da sua própria perna, onde terminou a gestação.

De acordo com a mitologia romana, Baco ao tornar-se adulto descobriu a forma de extrair o sumo da uva e produzir o vinho. Com inveja, a deusa Juno (Hera no panteão grego) transforma Baco num louco a vagar pelo mundo. Ao passar pelo Frigia, foi curado e instruído nos rituais religiosos pela deusa Cibele.

 ANDREIA MORGADO Nº5 9ºA

Carta do Fidalgo D. Anrique a Deus 07/04/2013

Posted by prof_mjoao in 9ºA.
2 comments

D. Anrique Lopes da Silva                                          Deus António Manuel

Rua Ardente, Palácio do Fidalgo, Inferno                Nuvem Real, Céu

 Inferno, 30 de fevereiro de 1447

fidalgo

Assunto: A minha vida após a morte

Exmº  Deus,

 No passado dia 15, dirigi-me à Barca do Paraíso atracada no “Cais da Morte” na intenção de seguir na mesma. Falei com Vosso Anjo, para aí entrar, porém Vosso servo condenou-me e enviou-me para a Barca do Inferno.

Sugeri a minha entrada na “Barca Branca”, contudo o Anjo Filipe argumentou que não o poderia fazer devido ao meu estilo de vida na Terra; contra argumentei como tendo sido Fidalgo de Solar e referi ainda que tinha quem rezasse por mim. Mesmo assim o Anjo insultou-me e encaminhou-me para a Barca do Diabo e hoje encontro-me no Inferno.

Perante tal facto, faço agora a exigência de me virem buscar “aqui abaixo” para a minha entrada no paraíso, caso contrário quero que me sejam enviados três servos, um para cozinhar, um outro para tratar (arrumar e limpar) a minha residência e o terceiro para me acompanhar nas minhas saídas; pretendo também que me seja enviada semanalmente uma moça virgem para eu usar nos prazeres da vida.

 

Sem outro assunto de momento,

 

Cumprimentos,

 D. Anrique Lopes da Silva

Gustavo Sá, 9ºA

Retrato de Florbela Espanca 04/03/2013

Posted by prof_mjoao in 9ºA.
add a comment

Florbela Espanca é uma personalidade muito importante da literatura portuguesa. A jovem poetisa, durante a sua vida, viveu em Évora, Redondo, Matosinhos e Lisboa, viveu três casamentos, escreveu poesia e contos. Pôs fim à sua vida com apenas 36 anos, com grande tristeza e dor.

Era uma mulher bonita, sensual e muito cobiçada pelos homens, não só pela sua beleza, mas também pelo seu charme e encanto. O seu rosto era encantador, tinha olhos grandes e brilhantes. Tinha o cabelo castanho-escuro, pelos ombros, ondulado e sempre bem arranjado. Era esbelta, elegante e vistosa, fazendo inveja a qualquer mulher. Vestia-se de uma maneira audaz e provocante, muito à moda dos loucos anos 20.

Psicologicamente era uma mulher erótica, ousada, que gostava de amar e ser amada, muitas vezes sofrendo com isso. Tinha uma personalidade forte, determinada e emancipada, no entanto instável. Era ainda sentimental, muito ligada a emoções, gostava de sair e de viver cada momento da sua vida intensamente.

No global, podemos dizer que Florbela viveu uma vida em busca de inspiração e de rumo para sair do seu sofrimento.

 

Diana Pereira, nº8, 9ºA

Quando a poesia é a cura para todos os males… 04/03/2013

Posted by prof_mjoao in 9ºA, palavrasdesever.
2 comments

Numa tenebrosa noite de Inverno, um casal encontrava-se numa casa velha, escura, os tijolos estavam a rachar e o teto prestes a cair. Num cenário de chuva e muito vento, em que as árvores faziam barulhos estranhos e movimentos assustadores, postes caiam e carros batiam, o marido pergunta à mulher:

– Sentes-te bem? Não te preocupes, nada acontecerá!

A mulher com uma voz trémula de medo responde:

– Tu sabes que só há uma coisa que me acalma, que me leva a abstrair de tudo o resto, até mesmo desta noite assustadora!

Assim, sabendo do que a mulher estava a falar, o homem levanta-se e vai ao encontro da estante que se encontrava na sala. Era uma estante enorme, mas apenas tinha poesia. Desde que o filho deste casal morrera, a poesia era a essência da vida desta mulher triste mulher, era a poesia que a fazia sentir viva, sentir que ainda tinha sangue a correr nas suas veias, e era tudo o que lhe restava naquela vida, para além do marido.

O vento cada vez estava mais forte, o frio entrava naquela casa velha através das portas, mas a mulher não se apercebia de nada, a poesia, tal como sempre, levara-a a esquecer tudo à sua volta, a poesia era a solução para todos os seus problemas.

No dia seguinte, a mulher acorda com o livro no seu peito, a tempestade tinha acabado, e esta pobre leitora, mesmo acordada, continuava a sonhar com a poesia.

Carina Silva, nº 6, 9ºA

Retrato de Florbela Espanca 31/01/2013

Posted by prof_mjoao in 9ºA.
add a comment

florbelaespancaiiFlorbela Espanca, uma das melhores poetisas de Portugal, nasceu em Vila Viçosa a 8 de dezembro de 1894, tendo posto fim à vida em Matosinhos, passados 36 anos. Durante a sua vida também viveu em Évora, Redondo e Lisboa.

Florbela era baixa e no entanto elegante, de rosto fino, sobrancelhas retas e bonitas, de olhos pequenos, amendoados e castanhos, com um nariz arrebitado, lábios carnudos e rasgados. Vestia-se de forma audaz, apanhando o seu longo cabelo ondulado e castanho escuro.

Apesar de ser uma pessoa amada, Florbela era incapaz de ser feliz, pois recusava-se a admitir o seu amor pelo irmão, sofrendo a cada casamento. Sonhava com a liberdade, mas era uma pessoa instável e confusa que fugia ao conceito do politicamente correto e da ética da época. Embora fizesse sofrer, também era sofredora e transmitia-o nos seus poemas.

Florbela espanca era alguém difícil de se definir, sempre confusa, sempre instável…

Amanda Rodrigues, Ana Martins, Fábio Matos e Rafael Coutinho, 9ºA

FOXLIFE 03/12/2012

Posted by prof_mjoao in 9ºA.
add a comment

fox_life_nl

Fox life… um ótimo canal da empresa FOX, aberto 24 horas por dia, todos os dias da semana. Este é um canal que passa, sobretudo, séries, concursos de música e dança e filmes.

              A fox life é um canal familiar, tem programas dirigidos a todas as idades desde crianças e adolescentes até aos mais adultos, tais como: séries criminais como ‘CSI’ e ‘Investigação Criminal’ para os mais adultos e séries juvenis como ‘Glee’ e ‘90210’ para os mais jovens. Outro aspeto positivo é o facto de ter poucos intervalos e de curta duração ao contrário da maioria dos canais de televisão. No entanto, existem concursos como o ‘American Idol’ que já repetiram vezes e vezes sem conta no mesmo ano, o que por vezes é monótono.

                Apesar de tudo, é um bom canal, interessante, descontraído, que o telespectador não pode deixar de experimentar.

  Ana Rita Silva, nº4, 9ºA 

 

CAPUCHINHO A SECAR! Versão aborrecida d’O Capuchinho Vermelho 13/11/2012

Posted by prof_mjoao in 9ºA.
1 comment so far

Esta não é uma história qualquer! Se vão lê-la, preparem-se para…adormecer!

Recuemos ao passado: um século…dois séculos…três séculos…quatros grandes séculos… Numa certa manhã, uma linda menina acorda na sua grande, branca, bela e confortável cama. Era dia de ir a casa da avó. Quando chegou à cozinha, cheirou-lhe a panquecas e ovos e a menina decidiu perguntar à mãe:

– Bom dia mamã, o que é que é o pequeno-almoço?

A mamã respondeu:

– Panquecas e ovos, linda filha! Lembras-te que dia é hoje? Dia de ir a casa da avó. Preparei um cesto com muitas coisinhas boas para lhe levares: bolachas de chocolate, bolachas de morango, pão com manteiga, pão com fiambre, pão com queijo, pão misto, um ou dois sumitos, leite simples, leite achocolatado, leite de soja e um queijinho da serra. Ahhh, e uns rebuçadinhos de mentol!

A filha entusiasmada disse:

-Vou lavar os dentes e vou embora, mamã! Adeus mamã, até logo!

Ouve-se o barulho da porta a bater. A caminho da casa da avó, o capuchinho encontrou um lobo mau, muito muito mau, é que era mesmo muito muito mau e disse:

-Ai, que susto!

Desculpa se te assustei! Não era minha intenção! O que levas nesse cesto velho com palhas velhas? – Perguntou o Lobo mau.

Umas coisinhas boas para a minha avozinha que está muito doente – disse a Capuchinho Vermelho.

– Pode sair da minha frente Sr. Lobo mau!?

-Mas eu sei um caminho mais perto para ires para casa da tua avozinha: passas pelas casas de banho públicas, pela escola primária e pela secundária, entras de novo na floresta, meio quilómetro de árvores, cortas à esquerda, depois uma reta, depois à direita e chegaste! – informou o Lobo mau. – Tu vais por esse caminho e eu vou pelo mais longo, vamos ver quem chega primeiro!

E a Capuchinho seguiu o seu caminho…

Passada meia hora, uma hora, uma hora e meia, duas horas, duas horas e meia… chegou ao destino.

O lobo tinha chegado e comido a avozinha. Tinha as roupas dela, os óculos dela, a verruga dela, a touca dela e o bigode dela! A Capuchinho entra pela janela, pois a porta principal e a das traseiras encontravam-se trancadas.

Encontra a sua avozinha na cama, a fazer um capuchinho encarnado para a Capuchinho Vermelho. A Capuchinho beijou a avó e entregou-lhe o cesto. De repente uma horrenda criatura carnívora… Era o Lobo mau que tentou comer o Capuchinho uma vez que a avó já se encontrava digerida. Até a capuchinho ser mastigada, ela gritou, gritou, gritou, gritou mais um bocadinho e voltou a gritar.

Um lenhador que ouviu os gritos de desespero da Capuchinho, socorreu-as cortando a barriga do Lobo e tirando-as de lá de dentro.

Como era de esperar, o Lobo mau morreu e… a avozinha e a Capuchinho Vermelho foram comer o lanche! Ahh, e claro, viveram felizes para sempre!

Trabalho de Grupo – 9ºA

Ana Rita Silva – nº4

                                                                              Carina Gigi – nº7

                                                                 Francisco Guerra – nº10

      Gustavo Sá – nº12

Billy Elliot – Crítica 13/11/2012

Posted by prof_mjoao in 9ºA.
add a comment

O filme chama-se “Billy Elliot”, argumentado e realizado poe Lee Hall e Stephen Daldry e foi realizado na Inglaterra em 2001.

O objectivo deste filme é sensibilizar as pessoas a deixarem as crianças seguirem os seus sonhos sem que as obriguem a nada.

As personagens principais deste filme são: Billy Elliot protagonizado pelo ator Jamie Bell, Jockie Elliot por Gary Lewis e Mrs. Wilkisson por Julie Walters.

A história deste filme é a de um rapaz chamado Billy que foi inscrito pelo seu pai nas aulas de boxe, mas não gostava muito das aulas. Um dia, Billy reparou que se realizavam aulas de ballet ao lado do ring de boxe e decidiu experimentar, inscrevendo-se. Seu pai quando soube não gostou nada e proibiu Billy de dançar. Billy, ao ouvir isto do pai, decidiu treinar às escondidas do mesmo. Mas por azar o pai descobriu, Billy não se rebaixou e mostrou ao pai que era bom na dança e que não ia desistir do seu sonho. Por fim, o pai cedeu e deixou o filho seguir o que queria.

O filme é muito interessante e gostava que toda a gente o visse, pois dá uma grande lição de vida.

Trabalho realizado por:

       Andreia Morgada Nº 5 9ºA

As Mulheríadas 17/05/2010

Posted by Professor@_AESV in 9ºA, Ano lectivo 2009/2010.
add a comment

Os vestidos e saias assinalados

Que do nada partiram, confiantes,

Por feitos nunca d’antes alcançados

Lutando para convencer seus amantes

A conceder seus tão atormentados

Direitos, considerados pecantes,

E entre homens incrédulos conquistaram

O Império que eles antes controlaram;

.

E também as memórias gloriosas

Daquelas que sempre muito lutaram,

Apesar de experiências desastrosas

E de fugas que quase as mataram,

E as que por acções escandalosas

Da lei da Morte se libertaram

Cantando espalharei por todo o lado,

De carro, de avião ou até a nado.

.

Cessem tudo o que no mundo diz

Que nós somos seres inferiores.

Calem-se e baixem depressa o nariz,

Admitam: não somos só amores!

Que eu canto aquelas a quem vós mentis

Mas que vos conseguem causar tremores.

Cesse quanto o machista torpe canta

Que outro valor mais alto se alevanta!

Amanda, Marta e Paula, 9ºA

Quem é ele? 21/01/2010

Posted by Professor@_AESV in 9ºA, Ano lectivo 2009/2010.
1 comment so far

Ele é alto como a sua auto-estima. A sua silhueta é marcada pela alegria de viver, tal como o seu sorriso. No seu rosto, os olhos lembram a avelã predilecta de um esquilo. O seu majestoso cabelo é um capacete que resguarda toda a sua sabedoria e profundos pensamentos. É a cortina do seu mundo.

Sim, ele é um rapaz descontraído tal como uma folha de Outono que se deixa levar ao sabor desta brisa, que é a Vida.

A camuflagem faz parte do seu passatempo ideal e permite que aquelas dolorosas esferas não entrem no seu território.

Apesar de se reservar, conta sempre com os seus companheiros.

Elaborado por:

Joana Veiga, Luís Pereira, Maria Santos – 9ºA

A heroína da Joana Veiga 17/01/2010

Posted by Professor@_AESV in 9ºA, Ano lectivo 2009/2010.
1 comment so far

A minha heroína não tem super poderes, mas é ela que me ajuda nos momentos difíceis ou quando mais preciso. É ela que me dá carinho, que me ajuda a crescer, que me faz sorrir e ser feliz.

E ela é a minha mãe!

Joana Veiga, 9ºA

Os heróis do Miguel Costa 13/01/2010

Posted by Professor@_AESV in 9ºA, Ano lectivo 2009/2010.
5 comments

O meu herói? Que difícil! Só posso mesmo escolher um? Ora, bolas!

É difícil escolher, não tenho só um, tenho vários, para várias ocasiões.

A minha mãe?! Como poderia não o ser, acho que o  é a de qualquer um. O pai? Obvio, está comigo desde que nasci, apoiando-me nos bons e maus momentos. O Rodrigo está comigo há mais de metade da minha vida, acho que já não dá para sair. O André Lucas? Conheci-o no 5º ano e logo se tornou um dos meus melhores amigos até hoje, bons momentos passados com ele, muitos mesmo. Toda esta turma que me acompanhou nas aulas mais divertidas e mais aborrecidas, ajudando estas a passarem mais rápido. O Dinis, que se mudou, mas continua a passar maior parte do tempo comigo. O Júnior, talvez o mais recente porque se mudou para Portugal há pouco tempo, mas está sempre divertido e com um ombro amigo. A Rita? “AHAH” Ela é-me tanto, já não sei como era se não houvesse “ela”. Guilherme, meu bom amigo, coitado que leva sempre com a culpa dos professores mesmo que esteja quietinho e calado. Cláudio, andei com ele no jardim-de-infância e sempre mantive contacto com ele, mas só no oitavo ano é que começámos a socializar mais, ele é aquele amigo heróico com um dicionário de palavras amigas para me alegrar quando mais preciso.

Duas irmãs, uma para me levar às saídas à noite e outra que ainda não largou as fraldas e me magoa por não saber dizer “Miguel”, mas me diverte imenso com cada nova palavra que aprende a cada dia e não sabe dizer muito bem. Raquel, minha pequenina mais velha do que eu, que como muitos dos outros está sempre pronta a dar um ombro e uma palavra.

Costuma-se dizer que o melhor vem no fim, neste caso não é bem assim, porque todos são os melhores que tenho, e não deixei o André Campos para o fim por nenhuma razão em especial, apenas dizer para ele qualquer coisa como disse para os outros. Sempre divertido, com aquelas piadas secas que põem qualquer um a rir, até por vezes o professor.

Que nome tenho eu? Um sortudo com montes de amigos que posso considerar heróis, se cada amigo for um herói espero que tenham todos tantos quanto eu.

Miguel Costa, 9ºA

Texto de apreciação crítica sobre o filme “Meet the Spartans” 23/12/2009

Posted by Professor@_AESV in 9ºA, Ano lectivo 2009/2010, palavrasdesever.
2 comments

“Meet the Spartans” é um filme que tenta imitar o filme “300”, mas no mau sentido.

É uma película realizada por Jonas Brother, tendo como protagonista Leonardo Dicaprio. Tem como maior objectivo fazer-nos rir. Porém, eu acho que não tem piada nenhuma.

O filme decorre no tempo medieval mas os persongens iam aos “Ídolos”, e a maneira de cumprimentar os homens era um beijo na boca. O maior problema é que eles nem nos “Ídolos” cantaram, era “playback”.

Nas cenas de guerra, o normal é uns mil guerreiros. Neste filme, eram mil, mas novecentos oitenta e cinco estavam num retroprojector; quando chega à altura emocionante a guerra é feita a dançar, como nas ruas, com grupos rivais. Nunca vi nada assim tão disparatado.

Em conclusão, eu pensava que ia ser um filme fantástico mas saiu-me um filme horrendo.

Guilherme, 9ºA

Crítica ao filme “Crepúsculo” 16/12/2009

Posted by Professor@_AESV in 9ºA, Ano lectivo 2009/2010, palavrasdesever.
26 comments

O filme “Crepúsculo”, realizado por Catherine Hardwick, conta um estonteante romance entre um “sugador de sangue” e uma humana com um sangue tão “apetitoso” que é quase impossível resistir-lhe.

Um vampiro deseja intensamente o sangue de Bella, uma frágil e desastrada mortal, que inconscientemente se apaixona por ele. Baseado no romance Crepúsculo, conta uma apaixonante história de amor, em que o perigo espreita por todos os lados. Com as brilhantes interpretações de Robert Pattinson e Kristen Stewart, como protagonistas, e Cam Gigandet, como vilão, este é um filme de cortar a respiração.

Resumindo, a aventura, o amor e o perigo originam uma mistura fantástica que nos deixa colados ao ecrã do início ao fim.

Paula Rodrigues nº 18 9ºA

A viagem fantasiosa de Guanes até Retortilho 14/12/2009

Posted by Professor@_AESV in 9ºA, Ano lectivo 2009/2010.
add a comment

Quando Guanes aceitou ir a Retortilho comprar comida, não foi só porque tinha fome, mas sim por lhe ter ocorrido a ideia de como iria matar os dois irmãos, para ficar com o tesouro só para ele.

Entretanto, montado na égua chegou a Retortilho e deslocou-se para a traseira da Catedral, para comprar veneno a um judeu e colocá-lo nas garrafas de vinho que os seus dois irmãos iam beber.

E só levaria duas garrafas em vez de três para não se enganar e beber uma delas. E quando não já não se  evidenciar o mais  minucioso vestígio dos irmãos, o tesouro será só dele.

E com esse tesouro todos os seus desejos se irão concretizar.

Daniel Matos e André Campos, 9ºA

The Boy Who Knew Too Much – Mika 30/11/2009

Posted by Professor@_AESV in 9ºA, Ano lectivo 2009/2010.
1 comment so far

 

 

 

 

 

Fresco, jovial e viciante, é assim que se pode caracterizar The Boy Who Knew Too Much, do cantor libanês Mika.

Sucessor do também brilhante Life in Cartoon Motion, The Boy Who Knew Too Much apresenta um ar mais crescido, adolescente, por parte do artista, ao contrário do seu antecessor que revelava o lado mais infantil do músico. Mas o facto de o álbum demonstrar mais maturidade, não significa que não possua as faixas vibrantes e as baladas comoventes a que Mika nos acostumou.

Um álbum de uma alegria contagiante que pode ser comprado a partir de finais de Setembro em qualquer loja de música perto de si.

Catarina Carvalho, 9ºA

Batman: o Cavaleiro das Trevas 30/11/2009

Posted by Professor@_AESV in 9ºA, Ano lectivo 2009/2010.
1 comment so far

Realizado por Christopher Nolan e tendo como parte do elenco grandes nomes da representação, como Christian Bale, Heath Ledger, Aaron Eckhart, Michael Caine e até mesmo Morgan Freeman, Batman – O Cavaleiro das Trevas, foi um sucesso de bilheteira.

Com um enredo fascinante, que desperta a atenção do espectador do início ao fim, este é um filme que sem dúvida merece todas as críticas positivas que já recebeu. Com diversos pontos altos, talvez aquele com mais destaque seja a interpretação genial de “Joker” por parte do falecido Heath Ledger. Ledger deu tudo a esta personagem, chegando a estar à altura da interpretação do mesmo papel por parte de Jack Nicholson, existindo até quem a considere superior.

O resto do elenco fez também um trabalho extraordinário, destacando-se assim também as interpretações de Christian Bale com “Batman” e de Aaron Eckhart como “Harvey Dent”.

Com tudo o que já foi referido, apenas se pode acrescentar que esta é uma película que vale totalmente a pena, pois vai prendê-lo ao ecrã durante toda esta história viciante.

Catarina Carvalho, 9ºA

“O Tesouro”, de Eça de Queirós, em banda desenhada 29/11/2009

Posted by Professor@_AESV in 9ºA, 9ºB, 9ºC, 9ºD.
1 comment so far

Esta prancha de banda desenhada faz parte de uma adaptação feita por Marcelo, um autor brasileiro, do conto que temos vindo a estudar nas aulas. Dêem uma espreitadela ao seu blogue (AQUI) para apreciar o resto da história.

“Esmiúça os Sufrágios” 10/11/2009

Posted by Professor@_AESV in 9ºA, Ano lectivo 2009/2010.
add a comment

O programa de televisão de que eu mais gosto muito é “Gato Fedorento, Esmiúça os Sufrágios”, protagonizado por Ricardo Araújo Pereira como apresentador e com repórteres como Miguel Góis e outros mais. Este programa consiste em entrevistar altas figuras políticas, fazendo-lhes perguntas que algumas vezes são um pouco pessoais.

Eu gosto muito deste programa, visto que é acessível a várias classes etárias e utilizam uma linguagem que qualquer pessoa entende. Para além disso, o “Esmiúça os Sugrágios” é livre, dado que os humoristas fazem perguntas um pouco desagradáveis a pessoas do governo e da política portuguesa sem sofrerem represálias. Ainda por cima, o programa é cómico. Tem ainda outro aspecto bom que é o horário televisivo ser coincidente com as horas a que as pessoas se encontram nas suas habitações.

É um programa que é recomendado a qualquer pessoa.

Daniel Silva Matos, Nº7, 9ºA