jump to navigation

Carta de apresentação para uma vaga na “Motinhas Táxi”, por André Ventura, 8.º B 29/06/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

André Ventura

Rua Fresca, fração D

3740-020, Sever do Vouga

 

Exm.º Sr. Diretor

do Departamento de Recursos Humanos da

Companhia Portuguesa Motinhas Táxi

Rua da Portinha,

3942-379, Vale de Cambra

 Sever do Vouga, 14 de Agosto de 2020

Chamo-me André Ventura e terminei recentemente a minha formação em Transporte de Pessoas em Carro e Mota.

Neste momento, estou desempregado e pretendo arranjar um emprego adequado à minha formação. Para tal estou a contactar a V/ empresa, sabendo que já recebeu bastantes prémios a nível mundial, por se destacar no transporte de pessoas em segurança e conforto.

Neste emprego, os trabalhadores têm de conviver com os clientes e transportá-los em segurança e com conforto, sei ainda que é um trabalho no qual posso correr riscos, mas estou preparado para os enfrentar.

Durante a minha formação, aprendi a conduzir de forma segura e estável, e aprendi ainda a lidar com todo o tipo de pessoas, respeitando-as.

Gostaria de, numa entrevista pessoal, poder prestar mais conhecimentos da minha formação.

Podem contactar-me por correio eletrónico (andrevvvv@hotmail.com) ou para o telemóvel 961234567.

Na expectativa de poder representar esta empresa, agradeço o tempo e a atenção dispensados.

André Ventura

Anexo- Curriculum Vitae

 

 

Anúncios

“Um dia na minha infância”, por Hugo Vaz (8.º B) 08/06/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
1 comment so far

Um evento traumatizante que me assombrou a vida foi quando andava no jardim-de-infância e tinha de usar uma bata feia, larga e às flores cor-de-rosa.

Todos se riam de mim mas eu não me importava, até porque não era o único a usar bata às flores cor-de-rosa.

Como não era o único, não ligava muito a isso, eu até gostava da cor mas as flores desenhadas é que eu não queria.

“Mais um ano”, de Guilherme Ribeiro (8.ºB) 08/06/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

Mais um ano!

Miniférias temos nós,

Com o ano a terminar.

Eu, em casa dos avós

e os do sexto sempre a estudar.

 

Aproveitar para rever

a matéria lecionada,

os próximos testes vão ser

a última grande rodada.

 

Espero bons resultados,

Para isso me vou esforçar.

Com boas notas no meu fado,

para a praia irei descansar.

 

O oitavo é bem melhor,

podes bem acreditar.

Mas, logo vem o pior

Com o nono ano a chegar.

 

Sou um jovem bem feliz,

não me posso queixar.

O que sempre quis

foi nunca o ano chumbar.

 

 

“O papel da educação na igualdade de género” por Hugo Vaz (8.º B) 08/06/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
1 comment so far

No meu texto, vou falar sobre o papel da educação na igualdade de género, eu defendo a ideia de todos termos funções diferentes.

Eu sou desta opinião, visto que os homens têm de ser um pouco mais intolerantes do que as mulheres. Por exemplo, quando alguém está a ofender as mulheres o homem tenta sempre ajudar, embora a mulher também ajude só que o homem parte logo para a guerra, enquanto que a mulher age de cabeça fria, tenta dizer o que não se deve fazer e tenta mostrar o lado negativo da violência.

Por outro lado, também acho que todos devemos ter direitos iguais visto que nessa situação há sempre problemas, violência e por isso acho que deve haver iguais direitos.

Relatório da Visita de Estudo ao Porto, por Hugo Hadden 01/06/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB.
add a comment

No dia 9 de março, os alunos do 8.º ano do Agrupamento de Escolas de Sever do Vouga, partiram às 8 horas para a estação de comboios de Aveiro. Aí apanharam o comboio com destino ao Porto, à estação de São Bento, tendo chegado por volta das 10:20h. Daí, seguiram a pé até ao Museu World of Discoveries.

O Museu Interativo World of Discoveries, dedicado à época dos Descobrimentos, está dividido por salas temáticas.

Na primeira sala, foi possível ver a evolução dos barcos portugueses, desde a barca até ao galeão, com imagens, minirréplicas e informação descritiva.

Na segunda sala, vimos a evolução dos mapas mundiais com as suas histórias e mitos.

A terceira sala era uma réplica do interior de um navio antigo. Aí pudemos ver a réplica do primeiro rinoceronte a vir para a Europa e os produtos que eram importados por Portugal na época dos Descobrimentos.

De seguida, visitamos uma sala onde estavam representados dois trabalhadores que faziam peças para os navios. Numa outra sala, pudemos simular uma viagem à volta do mundo descoberto pelos portugueses.

Terminada a visita ao Museu, fomos almoçar junto ao rio Douro. No final do almoço, caminhamos até à Torre dos Clérigos, que vimos apenas do exterior, e seguimos em direção à estação de São Bento para iniciar a nossa viagem de regresso à escola, onde chegamos por volta das 18:00h.

Na minha opinião, esta foi uma visita de estudo muito interessante, principalmente pelo facto de podermos aprofundar os nossos conhecimentos históricos sobre a época dos Descobrimentos de uma forma diferente do habitual, interativa.

 

Experiências infantis, por Leonardo Correia 21/05/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

No primeiro dia em que comecei a usar óculos, mal cheguei à minha escola primária fui gozado até ter de chegar a tirar os óculos e guardá-los.

Na cantina, voltei a pôr os óculos e um rapaz chamou-me caixa de óculos, eu ignorei. Chamou outra vez e foi então que me levantei, fui ter com ele e sacudi-lhe as moscas. No fim, parecia que lhe tinham passado dois elefantes por cima. A princípio, até me senti bem, mas depois lembrei-me que bater em alguém não resolvia nada.

Passados alguns meses fui à Feira de Março, no caminho pensei que ia correr tudo bem, mas foi precisamente o contrário. Estava a andar no passeio quando, de repente, o chão se levantou e fui bater com a testa no espelho do carro dos meus pais! Claro que fiquei com um galo enorme, mas o que é importante é que ainda fui andar de carros de choque.

Agora, de todas as vezes que peço aos meus pais para ir à Feira de Março a minha mãe faz questão de me lembrar aquele acidente trágico.

 

Esperando a noiva, de Edgar Almeida 15/04/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
1 comment so far

Esperando a noiva

Estava eu na igreja,

Cercaram-me as pessoas

cheias de inveja!

Eu esperando a noiva!

Eu esperando a noiva!

 

Estava eu na igreja diante do altar,

Cercaram-me as pessoas

sempre a espreitar:

Eu esperando a noiva!

Eu esperando a noiva!

 

Cercaram-me as pessoas sem o meu agrado,

Noiva não tenho eu a meu lado:

Eu esperando a noiva!

Eu esperando a noiva!

 

Cercaram-me as pessoas para maldizer,

Pensei «noiva, não sei mais o que fazer»:

Eu esperando a noiva!

Eu esperando a noiva!

 

Chegou o carro, com o seu condutor,

Eis que no banco traseiro vem o meu amor:

Eu esperando a noiva!

Eu esperando a noiva!

 

A noiva do carro saiu,

E todo o povo aplaudiu:

Eu esperando a noiva!

Eu esperando a noiva!

 

 Edgar Almeida, 8.ºB

(inspirado no poema de Mendinho “Estava eu na ermida de São Simão”)

És tu a minha graça 25/03/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

És como uma graça,
És tu que descreves meu sentimento,
Um sentimunto muito doloroso
Para mim, uma desgraça.

Mas mais belo que todos
És somente tu a fazê-lo,
Serei sempre eu a protegê-lo
Por muito que goste deles.

És tu quem vou amar
Mesmo ficando presa
Na alegria e na tristeza,
Lá estarei sempre para te apoiar.

És lindo como nunca vi,
Os meus olhos só brilham por ti,
És o único que me faz feliz,
Com a vida que sempre quis.

 

Bruna Rodrigues, 8.º B

Sinto-me incapaz 24/03/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

Sinto-me incapaz
De fazer os laços
Só quero baixar os braços
Quero fugir sem olhar

Serei capaz?

Estou ao pôr do sol
Sem querer,
Sem te sentir,
O que só me faz pensar em ti.
Vem ter comigo,
Só te quero a ti.

És o mais belo
De todos aqueles
Que me trata bem
E me faz feliz,
Sem uma vez pensar

Em desistir
Por ti.

Bruna Rodrigues 8.ºB

No Projeto + Contigo 21/03/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

No projeto + contigo

aprendi a controlar-me,

a dizer não a um amigo.

 

Também aprendi a resolver

os problemas no momento

e a não os deixar para trás

como se fossem vento

ou até mesmo chuva a cair:

cada gota a cair

e o problema

sem diminuir.    

                                                           HUGO VAZ, Nº12, 8ºB

A Graça 21/03/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

Biografia

A Graça é uma giraça

que aquece o pessoal

mas ninguém leva a mal

é que por onde passa tudo assa.

 

Olham, olham e chamam-lhe uma brasa,

queriam, queriam que ela caísse

e queriam que ela sorrisse

mas ela é a graça

que por onde passa

tudo arrasa.

 

                                                                                                                         Hugo Vaz ,nº12, 8ºB

(inspirado no poema “Endechas a Bárbara”, de Luís de Camões)

 

Amor 21/03/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

“Amor a gente conquista,

Amizade a gente cativa

Tristeza!?

Essa de nada a gente precisa!”

 

Pesquisa feita por Gonçalo Ribeiro, 8.º B

O que terá acontecido a Agualberto quando se “emboreou”? 21/03/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

       Agualberto emboreou-se para o mar e mergulhou tão fundo que se tornou um “sereiturão”.

       Ao navegar pelos mares encontrou a sua amante e beijou-a à “beserão”. Passado um ano o seu efeito de “sereiturão” desapareceu e veio à superfície já com visão.

       Quando notou que já via, foi ter com o filho.

André Ventura, 8.º B

(inspirado no estudo do conto Mar me quer, de Mia Couto)

Poema Satírico sobre “As Modas de Hoje Em Dia” 21/03/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
1 comment so far

Ai, a moda de hoje em dia,

de cueca sempre cheia

e de calças nos joelhos,

de rabiosque empinado.

 

Lá vai ele a atravessar a rua

com a mão segurando as calças

e cinto a fazer feitio.

Que rabiosque lindo!

 

O trânsito para

ao ver tal coisa,

que cuequinha tão linda!

 

A velhota desmaiou

a ver a manchinha castanhinha

e o cinto nos joelhos.

 

André Ventura, 8.ºB

(inspirado no poema “Chaves na mão, melena desgrenhada”, de Nicolau Tolentino)

Ribeiro 11/03/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
5 comments

Ribeiro

Com um olhar distante

Mas sempre constante

Ribeiro – talvez um olheiro

 

Sabe-se que é curioso

Pessoa meiga

Com um coração de manteiga

E não maldoso

 

Guilherme Ribeiro, 8.ºB

Estando eu na igreja de Santo António 02/03/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2013/2014.
add a comment

Estando eu na igreja de Santo António

Cercou-me o lume!

Eu esperando o meu amigo

Eu esperando o meu amigo

 

Estando eu naquele inferno

Assava que nem frango na brasa!

Eu esperando o meu amigo

Eu esperando o meu amigo

 

Cercou-me o lume

Não tenho extintor nem bombeiros,

Eu esperando o meu amigo

Eu esperando o meu amigo

 

Cercou-me o lume

Não tenho como escapar à morte!

Eu esperando o meu amigo

Eu esperando o meu amigo

 

 João Silva            n.º 14    8ºB

(Poema à maneira de Mendinho.)

Tudo o que te desejo 18/02/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
5 comments

A verdade mete medo

Não sei como te dizer…

Talvez ao estalar de um dedo

Uma ideia possa aparecer.

 

Tenho andado a adiar

O nosso primeiro passo,

Se continuar a pensar

Nunca mais me desembaraço.

 

Desejo-te um ano cheio de esperança

Pois és livres como uma perdiz,

Um ano com muita festança

Espero que sejas feliz.

 

És profunda como o oceano

Mas teu coração não é de seixo

E como sou um tipo bacano

Desde já te deixo

Um abraço com carinho

E um grande beijinho.

 

 Gonçalo Costa, n.º12, 8.ºC

18/02/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

Quando te vi

pela primeira vez…

só gostava de sentir o que vi

só mais uma vez!

 

Quando estou ao teu

lado só penso:

“O que faço agora?”

 

Quando me disseste “Olá”

pela primeira vez,

achei que o mundo ia acabar

nesse preciso momento.

 

E até agora não te quero dizer

o que sinto,

tenho medo,

como irás reagir?

 

Quando vou ter contigo

tenho medo

de corar,

por isso escrevo este poema,

para te dizer o quanto te amo

e o quanto te vou amar

para sempre.

 

Hugo Hadden, 8.ºB

Preso no teu olhar 18/02/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

Preso no teu olhar

Que me faz lembrar

Que o nosso mundo era perfeito.

 

No meu pensamento

Os nossos momentos.

Tu eras para mim   

O melhor de mim

 

Já não estás mais aqui

O que faço sem ti?

Como queres que te esqueça

Se a minha razão de viver

Eras tu?

 

Cada vez que te toquei           

Senti-me no paraíso,

O meu amor por ti

É infinito.

 

Leonardo Rodrigues, 8.º B

O que faço agora? 18/02/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

Quando acordo      

Eu só penso em ti

Apenas me levanto

Para te ver

 

Tu podes estar longe

E eu em casa          

Mas nosso corpos

Estão interligados

 

O que faço agora, sem ti?

Estou sempre sonhando contigo

Que vens para mim…

 

O meu amor por ti

É infinito

 

Leonardo Rodrigues, n.º17, 8.º B

A importância dos brinquedos 16/02/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

             Hoje vou falar sobre a importância dos brinquedos para as crianças e do meu brinquedo favorito, que é a “Playstation”.

            As crianças sempre necessitaram de um brinquedo para se divertirem quando não tinham nada para fazer em casa ou em outro lugar. Os primeiros brinquedos foram os de madeira e ainda atualmente se brinca com alguns como, por exemplo, o pião, que é muito conhecido nestes tempos. Também não se deve esquecer o avião de papel, conhecido mas menos utilizado.

            Vocês, leitores, devem perguntar-se quais são os brinquedos favoritos das crianças atualmente. Ora, as crianças gostam da “Playstation” e esse é também o meu brinquedo favorito, principalmente porque não foi dado pela família, mas sim por uma amiga minha. Esse brinquedo é uma bela lembrança e nunca me esquecerei dela.

              As pessoas adultas dizem que é um desperdício de dinheiro comprar um brinquedo, mas nunca se devem esquecer que se para elas é apenas um brinquedo, para as crianças representa o amor dos pais.

Leonardo Rodrigues, 8.ºB

“Estava eu com a mala feita”, de Hugo Hadden 03/02/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
1 comment so far

Estava eu com a mala feita

a caminho da Serra da Freita

e a minha amada ali me esperava!

e a minha amada ali me esperava!

 

Ia a meio do caminho

quando se avariou o meu carrinho

e a minha amada ali me esperava!

e a minha amada ali me esperava!

 

Sem forma de alguém contactar

não pude a minha amada avisar

e a minha amada ali me esperava!

e a minha amada ali me esperava!

 

Sem mecânico ou reboque

fui a pé mas tive um choque:

a minha amada tanto esperou

que foi embora porque se cansou.

Hugo Hadden, 8.ºB

(poema à maneira da cantiga de amigo “Estava eu na ermida de São Simeão”, de Mendinho)

Querida mãe! 16/01/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

Como me custa expressar os meus verdadeiros sentimentos, vou fazê-lo por escrito, pois creio que assim estou mais à vontade.

É com muita alegria que te desejo um feliz 2015. Que este ano te traga muitas felicidades e que seja eu o autor de muitas delas, que tudo o que desejas se concretize e que continues sempre a lutar como tens vindo a fazer e nunca desistas dos teus sonhos. Sei que às vezes te desiludo e peço-te desculpa, mas vou esforçar-me para que fiques orgulhosa.

Assim, mais uma vez, desejo-te um feliz ano novo, que o amor da nossa família continue forte e puro e que os nossos desejos se realizem neste novo ano!

Bruno Matos, 8.ºB

“Há Palavras que Nos Beijam”, de Alexandre O’Neill 15/01/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

 

 

 

Há palavras que nos beijam 
Como se tivessem boca. 
Palavras de amor, de esperança, 
De imenso amor, de esperança louca. 

Palavras nuas que beijas 
Quando a noite perde o rosto; 
Palavras que se recusam 
Aos muros do teu desgosto. 

De repente coloridas 
Entre palavras sem cor, 
Esperadas inesperadas 
Como a poesia ou o amor. 

(O nome de quem se ama 
Letra a letra revelado 
No mármore distraído 
No papel abandonado) 

Palavras que nos transportam 
Aonde a noite é mais forte, 
Ao silêncio dos amantes 
Abraçados contra a morte. 

 

 

Poema selecionado por Bruno Matos, 8.ºB

(no âmbito da atividade “Olimpíadas da Leitura”)

 

Minha Amada 14/01/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
1 comment so far

Ao_luar[1]Olá, minha amada

Todas as vezes que te vi

Sempre me senti no paraíso!

Num colar de ouro

Tu serás o meu grande diamante.

O rubi

É tão precioso como a nossa relação

 

Se tu não existisses na minha vida

O meu amor por ti era transparente.

Os teus olhos brilhantes

Parecem duas estrelas.

 

Em 2015 desejo-te felicidades,

Para a tua família também,

Amor para mim e para ti

e que na nossa relação cada vez haja mais

paixão!

Leonardo Rodrigues, 8.ºB

 

“A Palavra Mágica” 09/01/2015

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
1 comment so far

Certa palavra dorme na sombra

de um livro raro.

Como desencantá-la?

É a senha da vida

a senha do mundo.

Vou procurá-la.

 

Vou procurá-la a vida inteira

no mundo todo.

Se tarda o encontro, se não a encontro,

não desanimo,

procuro sempre.

 

Procuro sempre, e minha procura

ficará sendo

minha palavra.

 

Carlos Drummond de Andrade, in ‘Discurso da Primavera’

 

Poema selecionado por Leonardo Correia, n.º16, 8ºB,

no âmbito da atividade “Olimpíadas da Leitura”.

Os meus avós 29/12/2014

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
1 comment so far

 Frase a comentar:

“Os avós são referências essenciais na nossa vida, tanto na infância como na idade adulta; da convivência com eles retiramos ensinamentos que não se aprendem nos livros e que transmitimos de geração em geração.”

 

Os meus avós

Como é óbvio, concordo com esta afirmação, pois os meus avós são extraordinários.

Os meus avós são a minha referência, pois são boas pessoas e são simpáticos. Foi com eles que passei toda a minha infância. Com eles aprendi muitas coisas que não aprendo nos livros como, por exemplo, a ser educado para as outras pessoas, e continuarei a passar esses ensinamentos de geração em geração, aos meus filhos e aos meus netos.

Assim sendo, aconselho toda a gente a dar amor e atenção aos avós pois eles merecem.

Alexandre Silva, 8.ºB

O Sono (síntese) 29/12/2014

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

O texto de que vou falar é da autora Teresa Paiva e fala sobre o sono, este texto foi consultado em Setembro de 2013.

A maior parte das pessoas passa horas  pura e simplesmente a dormir. Enquanto nós dormimos, o nosso cérebro está sempre ativo e o sono tem como função deixar que nós descansemos após um dia de esforço físico e psicológico. Os seus benefícios são um bom funcionamento do sistema nervoso, um bom desenvolvimento do nosso cérebro e uma boa concentração no trabalho que exercemos. Quando não dormimos o tempo devido ficamos sonolentos, a nossa memória enfraquece e não conseguimos estar concentrados. As perturbações do sono são as alterações na conciliação do sono, comportamentos anormais como o sonambulismo e, por vezes, também o stress.

Por fim, algums exemplos de doenças do sono são a roncopatia, a apneia do sono e a insónia, todos surgem nos E.U.A., onde milhões de pessoas têm este tipo de doenças.

 Hugo Vaz, nº12, 8.º B

 

 

 

 

 

A aventura da Sara 27/11/2014

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
2 comments

         Era uma vez, uma rapariga chamada Sara que se atrasou para ir para a escola e perdeu o autocarro. Quando Sara reparou nas horas, viu que já estava na hora da sua aula! Sem saber o que fazer, desatou a correr até à escola.

        Quando a professora estava para fazer a chamada, os restantes colegas de turma de Sara viram que ela não estava dentro da sala e admiraram-se porque ela era sempre a primeira a entrar. Enquanto Sara  ia correndo, ia pensando na justificação que ia dar á professora.

       Chegando à escola, Sara subiu as escadas, nem numa só vez olhou para trás e caiu. Quando caiu tentou-se levantar mas não conseguiu, então gritou a pedir ajuda até que apareceu uma auxiliar e a levou para dentro da escola. Sentou-a numa cadeira e viu que Sara tinha um golpe no joelho e que estava a ficar muito inchado. A auxiliar foi imediatamente buscar um pano para tentar parar o sangue, mas sem sucesso, o sangue não parava!

          Por fim chamaram a ambulância e Sara foi levada para o hospital. Limparam-lhe a ferida, desinfetaram-na e fizeram-lhe o curativo. Por fim, Sara veio para casa e aprendeu que não se devia atrasar mais.

 

Hugo Vaz, nº12, 8ºB                               18/11/2014

Quadra de amor 27/11/2014

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

Por dentro estou sofrendo,

Sabendo que te perdi

Por fora estou vivendo

Fingindo que te esqueci.

 

Hugo Vaz, nº12 8ºB

Biografia imaginária do Raul 14/11/2014

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

Raul era um miúdo irrequieto. Asneiras era com ele. Pregava partidas a todos mas não gostava de levar o troco.

5622366326_14af3796d2_b-640x513Um dia foi apanhado por uns colegas que lhe pregaram uma partida, penduraram-no numa corda com molas. Raul ficou furioso, mas admitiu os seus maus comportamentos.

Já com mais idade, Raul aprendeu a andar de “skate” e era raro cair, fazia longos percursos e até corridas com os amigos, só que o gosto de pregar partidas não tinha desaparecido. Um dia, ao tentar enganar Paulo, colega dele nas corridas de “skates” , foi ele que se espalhou e esmurrou a cara toda.

Mais um castigo para tentar corrigir o seu comportamento.

Hoje, Raul tornou-se um aventureiro, corre o mundo todo e nem a Torre Eiffel, em Paris lhe escapou.

Bruno Matos, 8.ºB

Eu e a família 14/11/2014

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

Sou amigo do meu amigo,

Sou um jovem sonhador,

Abraça a vida comigo,

Ó família, meu amor.

 

Pai, mãe e irmão,

Amigos em quem podemos confiar,

A família é uma mansão,

Que não pode desmoronar.

Bruno Matos, 8.ºB

A rebeldia (aplicação da técnica do comentário) 14/11/2014

Posted by Professor@_AESV in 8ºB, Ano letivo 2014/2015.
add a comment

           A rebeldia é sinónimo de querer fazer as coisas segundo a sua própria vontade e geralmente está associada a uma reação agressiva. Os jovens tendem a reagir contra os conselhos dos pais e da sociedade como um todo, quando o que querem é apenas chamar atenção.

           Eles só querem chamar a atenção de todas as pessoas e não aceitam os conselhos dos familiares e amigos. [Na canção “Dona Laura”, de Miguel Araújo] a Laurinha diz que não tinha medo de ninguém, mas ela fuma e namora as escondidas, como diz na música.Dizia-se que a filha ia ser como a mãe, um olho na novela outro na janela, ia ser uma Dona Laura como ela, como podemos ver na estrofe sete. A mãe da Laurinha lembrava-se dos seus tempos de quando era jovem, tal como diz na estrofe seis.

          Eu concordo com Miguel Araújo, pois a Laura diz que não tem medo de ninguém e tem medo dos pais, pois fuma e namora às escondidas.

Bruno Matos, 8.ºB

A menina 23/05/2013

Posted by fatimapoirier in 8ºB.
add a comment
Era uma menina
com tranças amarelas
De saia aos quadrados
Que pintava as telas…
 
 Tinha os olhos azuis
Com lábios encarnados
Tamancas brancas
E trapos enrugados…
 
 Gostava de túlipas
De todas as cores
Mas do que gostava mais
Era dos beija-flores…
(Mariana Coutinho, nº15, 8ºB)

 

AS FLORES 23/05/2013

Posted by fatimapoirier in 8ºB, Ano letivo 2012/2013.
add a comment

Fios de cores que cobrem as paisagens.

Lindas melodias cantam para nós. 

Ornando a Natureza que as adotou.

Riem, riem tanto de alegria. 

E  namoram o céu, a nossa fantasia.  

São as flores, são as flores que nos alegram o dia.

 (Maria Luís Lima Rodrigues, n.º 12, 8ºB)

Estou feliz por a primavera chegar 08/06/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

Estou feliz por a Primavera chegar,

Estou feliz com os pássaros a cantar,

Estou feliz porque estou a saltar,

E eu não consigo parar de brincar.

 

Com os amigos sinto-me melhor,

Com os amigos sinto-me maior,

Com os amigos nada é pior.

E com eles há sempre amor.

 

Eu gosto de ser feliz,

Jogar à bola com o Luís,

Beber água no chafariz,

Saltar e rir como um petiz.

 

E ao fim da tarde,

Voltar para casa,

Bem abraçados,

A ver o pôr-do-sol.

 

Pedro Soares, nº20 – 8ªB

No mar… 08/06/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

No mar tudo é diferente

Tudo vai e vem com a corrente

Nesse vai e vem também se vão

Todos os problemas que nos assombram o coração

O mar é um mundo sem fim

O mundo que é de todos e não é de ninguém

Com ele eu aprendi

Que muita gente nos pode tocar

Mas que apenas nós é que nos podemos mudar.

Hão de reparar que ele está sempre a subir e a descer

Com esse movimento podemos aprender

Que a vida é feita de altos e baixos que temos de vencer!

 

Diana Pimenta, nº13 – 8ºB

Página de um diário 24/05/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

22 de agosto de 2011

Querido diário…

Desde sempre sonhei em ter um cão que fosse meu, um cão com quem eu pudesse brincar, viver grandes aventuras e descobrir novos mundos. A verdade é que já tinha perdido a esperança de concretizar este sonho, tanto eu como os meus pais já tínhamos falado com várias pessoas, mas ninguém tinha cãezinhos bebés. Até que hoje, uma vizinha minha veio falar comigo e pediu-me para eu ficar com a cadelinha dela. A casa dela é mesmo ao pé da estrada e ela tinha muito medo que a cadelinha fosse atropelada, assim, como sabia que eu gostava muito de animais e que em minha casa tenho muito espaço para ela poder brincar tranquila, ofereceu-ma.

Mal ela chegou a casa a agitação e o rebuliço começou, corria por todo lado, com os olhos bem abertos, afinal via a sua casa pela primeira vez. Ela é supercuriosa, nada lhe passa despercebido! Tenho a certeza de que nos vamos dar muito bem!

Por hoje é tudo! Beijinhos

Beatriz.

P.S. Com toda esta agitação esqueci-me de referir o mais importante! O nome dela é Luna, isto porque o pelo dela é dourado e brilhante como a lua!

 

Elaborado por: Beatriz Fernandes Nº5 8ºB

Há palavras que nos ferem 24/05/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

Há palavras que nos ferem

Como se fossem punhais

Vindas de certo alguém

Ainda ferem muito mais

 

Há palavras que nos ferem

E nos magoam a alma

Seria melhor nos darem

Um carinho cheio de calma

 

(inspirado no poema “Há palavras que nos beijam”)

Beatriz Bastos, nº6 – 8ºB

Um dia feliz – página de um diário 22/05/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

quinta-feira, 28/07/2011

Querida Potas,

 

Nem adivinhas o que eu tenho para te contar, foi brutal, tanto desejei que acabou por se realizar. Nem imaginas, fui de barco à Ilha das Berlengas e tudo aquilo que eu imaginava foi superado, a imensidão de mar e aquela sensação de liberdade foi extasiante. Na viagem para a ilha fui de pé, o rebentar das ondas fazia saltar a água que parecia aquela “chuva molha tolos” a saltar-me para a cara, era magnífico.

Ao atracar na ilha fiquei deslumbrada com a beleza do local e com a cristalina água. Estava tudo perfeito e como se já não bastasse fui conhecer a ilha, primeiro a pé e de seguida numa pequena lancha com o fundo em vidro. Não vais acreditar viam-se os cardumes de peixes, as rochas e os corais, é como se não existisse água, pois ela era tao límpida que deixava transparecer tudo nela existente.

Durante o passeio, o guia e condutor do barco, à medida que passávamos em determinados locais e grutas ia-nos explicando e contando curiosidades sobre a ilha. Uma das curiosidades que me chamou à atenção foi a do Airinho, uma espécie de pinguim raro só existente na ilha.

No fim de andar de lancha e como não poderia deixar de ser fui mergulhar, mas Potas a água é tão gélida que até arrepiava, não conseguia lá estar mais de cinco minutos e tu sabes que eu adoro água.

No regresso, o mar estava agitado parecia que estava a andar numa grande montanha russa, foi “bué fixe”, foi a adrenalina total.

Mal cheguei a casa vim a correr para te contar tudo. Espero repetir a experiência, mas desta vez quero acampar lá.

Como não tenho mais nada para te contar, amanhã falamos.

                                                                             Beijinhos!!!

Diana Pimenta, nº13 – 8ªB

Conto de Fadas de Pernas para o Ar 14/03/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

Era uma vez uma rapariga chamada Cinderela que vivia com a madrasta e com as suas duas meias-irmãs. À primeira vista ela parecia muito meiga, humilde e amável, mas não, era ela era uma espécie de bruxa má que obrigava a madrasta a limpar e a arrumar a casa mais que uma vez por dia e as meias-irmãs a costurarem-lhe vestidos iguais aos que via nas montras das lojas, mas que não tinha dinheiro para comprar.

Certo dia, bateu à porta da mansão Teles de Brito um mensageiro que fez um comunicado que deixou toda a casa em alvoroço: era um convite para um baile na herdade das maçãs. Cinderela ficou logo entusiasmadíssima e ordenou às suas meias-irmãs que lhe fizessem um vestido magnífico e deslumbrante. As irmãs obedeceram-lhe e foram para o quarto, mas não foram fazer o vestido, foram combinar um plano para elas irem ao baile e impedirem Cinderela de ir e de se insinuar para Miguel, o futuro herdeiro da herdade das Maçãs que era o homem dos sonhos delas. As irmãs fizeram o vestido da Cinderela e os delas e quando, finalmente, chegou o dia do baile as irmãs puseram o plano em prática e trancaram Cinderela no seu próprio quarto.

Já no baile, Sara e Letícia (as duas meias-irmãs de Cinderela) divertiam-se a falar com os convidados, até que Miguel interrompeu a conversa e convidou Letícia para dançar. Esta receou aceitar porque não queria estragar a sua amizade com a irmã, mas Sara disse-lhe que não se preocupasse que ela também já tinha pretendente.

E assim foi: quando o baile terminou as duas irmãs não podiam estar mais felizes, pois aquela noite foi o passaporte delas para fora da mansão Teles de Brito. Letícia ficou noiva de Miguel, acabando por casar com ele pouco tempo depois do baile, vivendo assim feliz para sempre. Sara não se casou com o tal pretendente, mas estava feliz na mesma, porque apesar de não estar casada com ele, eles namoravam e estavam mais felizes do que nunca.

Vocês devem-se estar a perguntar o que aconteceu a Cinderela, mas essa só teve o que mereceu, ficou a trabalhar como costureira e empregada de limpeza particular da sua madrasta.

 

Diana Pimenta Nº13 8ºB

O Retrato do Rapaz (música Baile da Paróquia de Rui Veloso) 05/03/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
2 comments

O Miguel tem vinte e cinco anos e mora no Porto.

É um rapaz alto, moreno com um rosto oval e sempre corado. O seu cabelo é loiro e liso e os seus olhos castanhos vivos. Os seus lábios são finos, os dentes brancos e a boca sempre risonha. Tem uma maneira de se vestir um pouco antiquada para a sua idade, calças americanas, botas alentejanas e ainda um blusão negro e velho.

Normalmente, é um rapaz alegre e descontraído, pois sempre que vai a uma festa quer dançar; por vezes simpático e brincalhão. Por outro lado, é um pouco agressivo, devido ao facto de querer muito dançar e, sendo assim, toma atitudes agressivas tal como puxar o braço ao seu par; é também um pouco convencido. O Miguel gosta de festas e também de dançar.

Na minha opinião, é um rapaz que devia mudar algumas das suas atitudes, para se tornar uma pessoa melhor.

 

Beatriz Fernandes, Nº5, 8ºB

Autobiografia do futuro – O meu percurso de vida 05/03/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

 

Chamo-me Beatriz Pereira Bastos, tenho 30 anos e sou faladora, bem disposta e compreensiva.

Nasci no dia 06 de Outubro de 1998 e baptizei-me no dia 08 de Maio de 1999.Em 2003 entrei para a escola primária, em 2007 fiz a minha primeira comunhão. 2014 foi uma ano que nunca esquecerei porque nas férias de verão fui dar a volta à Europa, conheci novos países, novas culturas e também novas pessoas.

Passados três anos, entrei para a universidade de Coimbra onde tirei o curso de Medicina Dentária. Passado um ano nasceu o meu irmão Duarte, o que me deixou muito feliz. Em 2020 tirei o mestrado e passados três anos comecei a exercer a profissão de dentista, o que faço até hoje.

No ano de 2024 casei-me com um colega de profissão e em conjunto abrimos uma clínica de medicina dentária. Um ano mais tarde fui mãe de gémeos a quem dei o nome de Salvador e Martim.

Tenho uma vida estável, uma família unida e uma profissão de que gosto muito.

(texto de ficção)

Beatriz Bastos, nº6, 8ºB 

Texto Crítico 16/01/2012

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

Morangos com Açúcar

 

A série Morangos com Açúcar é transmitida na TVI das 19:15 às 20:00 horas.

Esta série retrata a vida dos adolescentes, pois passa-se numa escola e os atores são adolescentes. Os atores são bons, pois representam bem a sua personagem. As bandas sonoras são apropriadas para os mais jovens. Nesta série abordam-se alguns temas como a anorexia, bullying, acidentes rodoviários e é importante os jovens poderem conhecer cada possibilidade de entrar em situações criadas pela atual sociedade. Também falam sobre a reciclagem, porque é importante os jovens cuidarem do ambiente para gerações futuras.

A série é divertida, cultural, informativa e de certa forma moralizante.

 

Beatriz Bastos, 8ºB

 

 

 

CRÍTICA AO FILME CREPÚSCULO 05/12/2011

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
1 comment so far

Crepúsculo é o mais recente fenómeno entre os adolescentes.  Este filme tem tudo para agradar os adolescentes porque tem todos os elementos que o grande público jovem mais deseja ver num filme que são: fantasia, namoro, pessoas bonitas, final feliz e ambiente escolar, criando uma harmonia com a realidade do mundo adolescente de uma forma natural.

Um dos poucos pontos positivos que vi na atuação dos atores foi o excelente jogo de olhares; nem precisavam de abrir a boca para sabermos o que estava a acontecer; as tonalidades de cor utilizadas no filme, como o uso intenso do cinzento e das cores mortas, estavam apropriadas ao clima que se queria transmitir: frio, tristeza e solidão.

Edward é mais ou menos tudo que uma rapariga sonha (num mundo fantasioso, evidentemente): lindo, protetor da amada e ainda tem superpoderes. Apesar de ter de resistir a sugar o sangue da amada, isto é um detalhe que Bella tenta superar, por isso existe uma tensão entre os dois que nunca passa. Este conflito é transformado em tensão, sofrimento, dor e tudo isso que o amor provoca, mesmo nos seres humanos, envolvendo-nos na ação.

Uma das provas de amor, entre Bella e Edward, é o facto de ele não poder tocá-la, pois tem medo de não resistir e de sugar o amor que sente por ela e, por outro lado, Bella quer ser amada na sua plenitude, nem que para isso precise virar uma imortal como Edward. Quer dar o seu sangue como símbolo maior do seu amor e considero isto como uma grande prova de amor de ambos os lados, o sacrifício pelo outro.

Sempre pensei que os vampiros eram criaturas superiores que desprezavam a vida humana e foi um pouco estranho ver um deles amar e proteger um ser frágil que deveria servir-lhe de alimento, mas esta ideia conquistou-me porque toda a forma de amar pode ser válida mesmo que seja improvável.

Considero que algumas atuações foram fracas, o que se pode observar nos momentos em que se exigia mais emoção e adrenalina por parte dos atores.

Alguns dos efeitos especiais também não me agradaram, nomeadamente aquele que mostra um vampiro a subir uma árvore, a alta velocidade, como se pesasse 1 Kg ou aquele em que sai de uma porta e abre outra instantaneamente.

 Andreia Tavares, nº3, 8ºB

Bullying nas escolas 05/12/2011

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
2 comments

Criança de dez anos foi vítima de Bullying na passada sexta-feira, no recinto escolar, e agora não quer ir às aulas.

Na passada sexta-feira uma criança de dez anos foi agredida com pontapés e estaladas. Ela já havia sido outras vezes agredida por um colega mais velho.

O jovem agressor diz que a criança estava a fazer muito barulho e ele não conseguia ouvir música sossegado, então enervou-se e começou aos pontapés e às estaladas à criança.

A criança ficou cheia de medo e quando chegou a casa contou ao pai e à mãe. Os pais ficaram preocupados com a situação e além do mais a criança não quer ir às aulas.

 (Texto de ficção)

Carolina Coutinho

nº8 8ºB

Eleições à Porta 21/11/2011

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

No próximo dia 24 de Outubro, realizam-se as eleições, na Escola Básica e Secundária de Sever do Vouga. Em disputa estão as listas Alpha, M e E.

            É com grande expetativa que os estudantes aguardam o resultado das eleições. Depois de uma semana em que as três listas lutaram para conseguir o maior número de votos, apresentando, nesse sentido várias propostas, tal como a promessa de várias festas, o resultado não pode ser mais imprevisível.

            Tal como nos anos anteriores, este ano não foi exceção, as eleições resultam da vontade dos estudantes dinamizarem a escola.

 Beatriz Fernandes, Nº5, 8ºB

Escola com nova cara 17/11/2011

Posted by prof_mjoao in 8ºB.
add a comment

A escola Básica e Secundária de Sever do Vouga abriu para mais um ano letivo a 19 de Setembro de 2011.

 Como não poderia deixar de ser, esse dia foi marcado pelas apresentações, seguidas de uma visita guiada pela nova escola, visto esta ter sofrido remodelações.

Depois de uma análise geral, pode concluir-se que esta se apresenta com um aspeto mais moderno, inovador e que vai de encontro às necessidades dos alunos, salientando-se a sala Polivalente, o Anfiteatro e os laboratórios devidamente equipados.

Espera-se que a nova escola não se fique só pela beleza arquitetónica, mas que no final do ano letivo de 2012 esta faça passar para o exterior a beleza dos bons resultados dos alunos.

Diana Pimenta, nº 13, 8º B

O retrato da Maria 25/03/2010

Posted by fatimapoirier in 8ºB, Ano lectivo 2009/2010.
add a comment

         A Maria é uma pessoa muito simpática. É como se fosse minha irmã. Além da sua simpatia, a Maria consegue transmitir-nos muito mais. É uma rapariga inteligente, sábia, doce, calma e, por vezes, um pouco teimosa.

            Muitas vezes, quando tenho algumas dúvidas de Língua Portuguesa, lá vem ela ajudar-me. As suas explicações são suaves e calmas e, assim, uma pessoa consegue perceber tudo.

            Para além de todos estes adjectivos que revelam que uma pessoa é maravilhosa por dentro, a Maria também é maravilhosa por fora. Os seus cabelos são longos e todos aos caracóis loiros. Os seus olhos são como duas pérolas azuis.

            Usa roupas coloridas com umas jeans de marca. Ela adora ir às compras. E muitas vezes convida-me para lhe fazer companhia.

            No Verão, adora usar vestidos longos e cheios de cor com umas sandálias.

            É alta e elegante. A sua pele é muito branca, como a neve no Inverno, mas no Verão, ganha uns tons castanhos e amarelados como a areia da praia.

            Se houvesse mais pessoas no mundo como a Maria!…

 

 (Texto de Mafalda Ribeiro, nº15, 8ºB)

AUTO-RETRATO 18/03/2010

Posted by fatimapoirier in 8ºB, Ano lectivo 2009/2010.
add a comment

      Cabelos castanhos-escuros, pelos ombros, ora esticados, ora com jeitos. Alta, nem gorda nem magra, cara redondinha como uma bolacha belga, olhos castanhos, não muito escuros, que se assemelham a cacau em pó. Sobrancelhas bem definidas e pestanas não muito salientes, acompanhadas por um ou outro sinal que se salienta ora junto ao canto da boca, ora junto às pequeninas orelhas. Nariz delgado, não muito grande, redondinho na ponta e boca de lábios nem finos, nem carnudos, num tom rosa-avermelhado. Tom de pele esbranquiçado, acastanhado em alturas de Verão arrastando pequenas sardas que lembram pedritas em areia molhada.

     Sempre umas sapatilhas ou, em tempos mais frios, umas botas. Preferência por calças de ganga a calças de cor; camisolas de alças ou camisas coloridas, sempre com um colar, um lenço ou uma echarpe.

    Feitio difícil, teimosia, preguiça, simpatia, perfeccionismo, vaidade e solidariedade são as palavras que melhor me caracterizam e este é o meu auto-retrato.

(Texto elaborado por Marta Miguel, nº 18, 8º B)